Rádio Observador

Autoridades Locais

Montalegre capturou 13 mil vespas asiáticas entre março e junho

134

Município tinha colocado 200 armadilhas no concelho, para "defender a vida económica, cultural e ambiental". Orlando Alves diz que quando começar a época de hibernação a captura será reforçada.

O autarca garantiu que medidas de captura obrigam a um "grande investimento"

ESTELA SILVA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A Câmara Municipal de Montalegre capturou 13 mil vespas asiáticas entre março e junho, após a colocação de 200 armadilhas pelo concelho, para “defender a vida económica, cultural e ambiental”, disse à Lusa o presidente, nesta quarta-feira.

O autarca de Montalegre, no distrito de Vila Real, Orlando Alves, revelou que poderão “redobrar ou triplicar” os esforços, de acordo com as propostas técnicas que serão apresentadas, para a implementação de mais armadilhas e defendeu que a iniciativa deve ser “replicada” em todos os munícipio.

“A vespa invade o território barrosão vindo preferencialmente da zona minhota. É onde se têm feito as maiores capturas e ficaria muito satisfeito se este projeto que temos em desenvolvimento fosse replicado em outros concelhos. É uma luta que tem de ser feita sem poupanças financeiras”, vincou.

Satisfeito com os números, mas não surpreendido pela iniciativa “pioneira” aplicada, o autarca garantiu que apesar de obrigar a um “grande investimento”, o município barrosão não “enjeitará esforços” para a defesa de um património ambiental e paisagístico e uma atividade económica “bonita” que tem de ser apoiada, a apicultura.

“Esta praga é um problema para a atividade económica, ambiental e de saúde pública, e gostaria que o nosso exemplo fosse replicado em todos os município do país, principalmente naquelas zonas onde a proliferação é maior”, realçou o presidente da autarquia, Orlando Alves.

Além da realização de sessões de esclarecimento, que têm sido feitas na sede do município e nas juntas de freguesia do concelho, e que vão continuar a acontecer, com “o envolvimento de todos os apicultores”, Orlando Alves adiantou que quando as temperaturas descerem e as abelhas hibernarem, irão ser “reforçadas fileiras” para a captura de ninhos.

“Vamos promover as chamadas caminhadas de nariz para o ar, para encontrar os ninhos da vespa asiática que estão sempre bem dissimulados nas copas das árvores, e ajudar as equipas especializadas que irão fazer a captura”, explicou.

O município defende que é de extrema importância a difusão de informação sobre este tema, para que “cada cidadão possa ter um papel ativo na identificação e comunicação de avistamento destas vespas e dos seus ninhos”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Justiça

O azar dos habitantes do prédio Coutinho /premium

Helena Matos
3.757

Todos sabem que não existe interesse público que justifique a demolição. Mas dá-se como adquirido que o Estado vai ganhar. Depois dirão: as vítimas tinham razão. É o síndroma azar dos Távoras. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)