Nicolas Sarkozy é o grande destaque da edição desta semana da revista Paris Match, que reproduz na capa uma fotografia do ex-presidente francês junto à mulher, a cantora Carla Bruni. O problema, e motivo da polémica entretanto gerada, é que Sarkozy parece mais alto do que Bruni, que tem mais dez centímetros do que o antigo governante.

A suposta adulteração da imagem original, levou a uma onda de indignação (e de piadas) nas redes sociais, onde surgiram várias montagens que mostram que Sarkozy estaria em cima de um banco ou que Bruni estaria sentada no chão. Uma utilizadora do Twitter acusou a publicação de usar “truques” fotográficos para que o antigo presidente parecesse mais alto do que realmente é. “Imaginem uma sociedade onde a masculinidade é tão débil e patética que o conceito de uma mulher mais alta precisa de ser escondido”, escreveu.

Frank McNally, jornalista do Irish Times, sugeriu que, talvez, Sarkozy tivesse entretanto encontrado “uma nova plataforma política”, enquanto um outro utilizador do Twitter partilhou uma fotografia dos alegados sapatos de plataforma do ex-presidente.

Os comentários gerados pela capa levaram a Paris Match a emitir um comunicado. “Algumas pessoas ficaram surpreendidas ao ver Nicolas Sarkozy mais alto do que a sua mulher, Carla Bruni”, começou por dizer a revista, explicando de seguida que a fotografia foi tirada em junho numas escadas que existem na casa do casal. “Na imagem escolhida para a capa, Nicolas Sarkozy estava num degrau mais alto do que a sua mulher.”

De acordo com a France-Presse, esta não é a primeira vez que a Paris Match, muito utilizada pelos políticos franceses como meio publicitário, tenta retratar Sarkozy, que mede pouco mais do que 1,60 m, como sendo mais alto que Bruni, com 1,75 m de altura. Em 2015, a revista publicou uma imagem semelhante do casal, numa praia na Córsega.

Nicolas Sarkozy foi presidente de França entre 2007 e 2012, ano em que perdeu as eleições para o socialista François Hollande. Retirou-se da política em 2016, depois de ser derrotado nas primárias do seu partido, Les Républicains, para a candidatura à presidência. Encontra-se atualmente envolvido num processo que teve origem em suspeitas de que tinha recebido dinheiro de Muammar Kadhafi para financiar a campanha eleitoral de 2007. Sarkozy será o primeiro ex-presidente francês a ser julgado por corrupção.