A Nissan detectou – e já procedeu às necessárias alterações – que algumas placas de junção das baterias que equipam o Leaf são menos resistentes à corrosão do que os japoneses gostariam. O problema é exacerbado se o veículo eléctrico circular em zonas com Invernos rigorosos, onde o sal é presença frequente nas estradas, ou nas regiões mais próximas do mar.

Os Leaf suspeitos de montar as peças com uma inferior resistência à corrosão foram produzidos entre 2011 e 2019, o que inclui modelos da primeira e segunda gerações, dado que o Nissan eléctrico começou a ser produzido em 2010. A chamada às oficinas (Nissan voluntary service campaign) foi iniciada a 7 de Julho, tendo alguns clientes já sido notificados para visitarem um concessionário, com o tema a ser igualmente alvo de discussão no site para clientes e fãs mynissanleaf.com.

O Nissan Leaf é produzido em três locais distintos, em Oppama (Japão), Sunderland (Reino Unido) e Smyrna (EUA), não especificando o fabricante japonês o número de unidades envolvidas, nem se o material abaixo do standard da marca foi utilizado em todos os locais de fabrico.