“Fui a Roma e trouxe-te… uma caneta”. Foi esta a mensagem com que, há quase 2.000 anos, alguém presenteou um amigo ou familiar. As escavações para a construção da nova sede da agência de notícias Bloomberg, em Londres, permitiram descobrir mais de 14.000 artefactos romanos antigos. Entre eles, 200 “canetas” — e só uma apresentava esta peculiar mensagem.

O objeto é feito de ferro, servia para escrever em madeira e data de cerca de 70 d.C — apenas algumas décadas depois da formação da Londres romana. Canetas romanas com inscrições são extremamente raras e os arqueólogos só ainda encontram algumas em todo o território que pertenceu ao Império Romano. O exemplar encontrado nas futuras instalações da Bloomberg é único, dado o seu estado de preservação e mensagem humorística.

Vim da Cidade. Trago-te um presente de boas-vindas com uma ponta afiada com a esperança de que te lembres de mim. Pergunto, se me permite o destino, se posso (dar) de forma tão generosa da mesma forma que é longo o caminho e os meus bolsos vazios”, lê-se na inscrição da caneta.

No Twitter, o Museu de Arqueologia de Londres, que supervisionou as escavações, traduz a inscrição frase a frase.

Por outras palavras, quem comprou a caneta assume que não tinha dinheiro para mais nada e que o objeto era uma simples lembrança. A mensagem revela o humor dos habitantes romanos de há 2.000 anos.

Mas o objeto é — hoje — algo mais que a simples lembrança que foi em tempos. O Museu de Arqueologia de Londres explica que a descoberta deste objeto nas margens do Tamisa sugere uma ligação direta entre Itália e a antiga Londres. “Nesta altura, Londinium (nome romano para Londres) tinha-se transformado num centro importante de comércio e governo, numa ligação com o restante mundo romano”, escreve o Museu.

Michael Marshall, especialista em artefactos romanos, diz que se trata de um objeto “absolutamente espetacular”. “É um dos objetos mais humanos (encontrados) na Londres romana. É muito pouco pretensioso e bastante humorístico. Dá-nos uma perspetiva acerca da pessoa que fez a inscrição”, destaca, citado pelo The Guardian.

A peculiar caneta e os restantes artefactos descobertos durante as escavações vão agora ser expostos numa nova exposição chamada “Ashmolean: A última ceia em Pompeia”, anunciou o museu londrino.