São revelações duras, as que a cantora Sinéad O’Connor fez numa entrevista que deu ao programa da estação televisiva britânica ITV, Good Morning Britain. Segundo a cantora e compositora irlandesa, o músico Prince, que morreu em 2016, terá agredido “várias mulheres” ao longo da vida. Sinéad relatou ainda uma tentativa de agressão que terá sofrido por parte do cantor, que a obrigou a fugir e pedir auxílio.

Intérprete do tema — que se tornou um êxito — “Nothing Compares 2 U”, composto por Prince, Sinéad O’Connor afirmou: “Tentou bater-me. Foi uma experiência assustadora.” A tentativa de agressão terá acontecido numa noite após o autor de “Purple Rain” ter intimado a irlandesa a ir a sua casa, em Los Angeles. Sinéad, que hoje afirma ter sido “tolo ir sozinha”, garante que Prince estava incomodado por esta não ser uma protegida sua, como o eram outros artistas emergentes para os quais o cantor e músico chegou a compor.

Queria que fosse protegida dele e exigiu-me que não praguejasse nas minhas entrevistas. Disse-lhe onde podia ir [sorrisos] e ele atacou-me. Subiu as escadas e voltou com uma almofada. Havia algo [um objeto] duro na almofada. Saí a correr de casa dele e escondi-me atrás de uma árvore”, contou a irlandesa.

Alegadamente em fuga, Sinéad O’Connor garante ter encontrado Prince “na auto-estrada, às cinco da manhã” e recordou o que terá acontecido depois: “Estava eu a cuspir-lhe e ele a tentar dar-me socos. Tive de ir tocar à campainha de alguém, que foi o que o meu pai me disse sempre para fazer se estivesse numa situação como esta.”

Na altura em que a tentativa de agressão terá acontecido, de acordo com Sinéad O’Connor, Prince andaria “a tomar umas drogas bastante más”. A irlandesa garante que “não foi a única” que o norte-americano tentou atacar, acusando-o de ter “batido em várias mulheres” e afirmando que “uma das raparigas da sua banda esteve no hospital com costelas partidas naquele tempo”.