Ao quinto dia da viagem oficial pelo continente africano, Harry seguiu as pisadas da mãe ao visitar um campo de desminagem em Dirico, em Angola, da organização britânica Halo Trust. O príncipe de 35 anos detonou remotamente uma mina e discursou sobre a importância de limpar as minas terrestres, continuando o trabalho há duas décadas iniciado pela mãe.

View this post on Instagram

Following in the footsteps of his mother, Princess Diana, this morning The Duke of Sussex visited a de-mining site in Dirico, Angola, to raise awareness of the danger and prevalence of landmines that still exists today. The Duke joined @thehalotrust in their work to help clear the area to enable safe access for the local community. • “If an international ban on mines can be secured it means, looking far ahead, that the world may be a safer place for this generation's grandchildren.” – Princess Diana, 1997 Today in Angola The Duke of Sussex will retrace his mother’s steps to see the legacy of her work and how her connection with this community helped make the elimination of landmines a reality. In 1997 Diana Princess of Wales visited Huambo to bring global attention to the crisis of landmines and the people whose lives were being destroyed. Two decades later, the area has transformed from desolate and unhabitable to lively and vibrant, with colleges, schools and small businesses. The Duke is humbled to be visiting a place and a community that was so special to his mother, and to recognise her tireless mission as an advocate for all those she felt needed her voice the most, even if the issue was not universally popular. Princess Diana’s visit helped change the course of history, and directly led to the Convention against Anti-Personal Landmines, also known as the Ottawa Treaty. Today, with the support of @thehalotrust, Angola now has a stated aim under the Treaty to be clear of known mines by 2025. Despite great progress, 60 million people worldwide still live in fear of landmines every day. During his visit today, The Duke will walk along the street which was once the minefield where his mother was famously pictured. #RoyalVisitAfrica #RoyalVisitAngola Photo©️PA

A post shared by The Duke and Duchess of Sussex (@sussexroyal) on

Há 22 anos, Diana de Gales visitou um antigo campo de minas terrestres no Huambo, também em Angola, um feito que ficou imortalizado numa fotografia que correu mundo. Agora, foi a vez de o filho mais novo da falecida “princesa do povo” recriar a imagem, partilhada na manhã de sexta-feira na página oficial de Instagram dos duques de Sussex, numa tentativa de continuar o trabalho da mãe.

Ainda esta sexta-feira, Harry visitou o local exato onde Diana caminhou sobre um campo de minas, agora dominado por uma comunidade dinâmica, com diversas escolas e pequenos negócios. “Vamos acabar o que foi começado e redobrar os nossos esforços. Vamos pôr esta arma nos livros de História para sempre”, apelou o príncipe, que também visitou a icónica árvore onde a Princesa sentou-se há 22 anos.

Em janeiro de 1997, Diana percorreu um campo de minas em Angola © Tim Graham Photo Library via Getty Images

“Em 1997, Diana de Gales visitou Huambo para trazer atenção global à crise das minas terrestres e às pessoas cujas vidas estavam a ser destruídas. Duas décadas depois, a área passou de desolada e inabitável para animada e vibrante”, lê-se na página de Instagram dos duques de Sussex.

Durante a visita desta sexta-feira, o príncipe vai ainda conhecer algumas das pessoas que contactaram com a mãe há 22 anos, incluindo a atual governadora da província, Joana Lina, e também um membro dos trabalhos de desminagem, Valdemar Gonçalves Fernandes, como já antes escreveu a Lusa. Harry vai também visitar o Centro Ortopédico do Huambo, que vai passar a chamar-se Princesa Diana.