As vendas da Alfa Romeo têm-se ressentido do facto de a marca transalpina contar exclusivamente com um SUV, o Stelvio. Mas como a marca de Arese pretende saltar das 180 mil unidades transaccionadas em 2018 para 400 mil vendas até 2022, apresentou o Tonale na última edição do Salão de Genebra, concept que antecipa a sua entrada no segmento C-SUV – precisamente, um dos mais lucrativos no mercado europeu.

As reacções não poderiam ter sido melhores, desde logo porque o protótipo alia a uma estética atraente a vantagem de montar um conjunto motopropulsor híbrido plug-in (PHEV), prenunciando assim o rumo da Alfa Romeo com destino à electrificação. Porém, esse misto de beleza e dinamismo foi apresentado como uma antecâmara do que poderíamos esperar apenas no próximo ano, em 2020, altura em que deverá ser revelada a versão definitiva do Tonale, para depois ser necessário esperar ainda um pouco mais, até que chegue aos stands. Sucede que a Internet voltou a baralhar o calendário “oficial”, com a divulgação de imagens descritas como “maquetas propostas para produção” do SUV que deverá estar disponível nos concessionários em 2021.

Olhando para as fotografias agora divulgadas, o crossover compacto em que a Alfa Romeo deposita grandes expectativas comerciais – julga-se que será o modelo mais vendido da marca – deverá exibir um design mais maduro face ao protótipo que o antecipou. A estética mantém a personalidade, mas perde os apontamentos mais futuristas, como as câmaras no lugar dos retrovisores exteriores, o que leva a crer que estaremos muito próximos da versão final do Tonale. Tal como era esperado, não há mudanças drásticas. A frente permanece praticamente intocada, face ao concept, o mesmo acontecendo com a secção traseira. A maior diferença residirá no layout dos grupos ópticos que, pelo que agora é dado a ver, parecem menos rasgados e menos esguios. Mas, ainda assim, numa linha marcadamente horizontal, para enfatizar a largura do modelo.

8 fotos

No interior prossegue o mesmo exercício de racionalização, embora se mantenha a filosofia de colocar o condutor no centro das atenções. As saídas do ar condicionado perdem o suporte digital e o ecrã ao serviço do sistema de infoentretenimento deixa de estar integrado no tablier.

Conforme um porta-voz da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) já confirmou, a fábrica de Pomigliano, perto de Napóles (Itália), irá começar a produzir o novo Fiat Panda no primeiro semestre do próximo ano, sendo também dessa linha de produção que sairá “um SUV Premium compacto”. Possivelmente, o Tonale. Só nestes dois modelos, a FCA terá investido perto de mil milhões de euros. No entanto, este esforço financeiro enquadra-se numa estratégia mais ampla, pois o conglomerado italo-americano prevê desembolsar, entre 2019 e 2021, “um total de 5 mil milhões de euros para suportar uma substancial renovação da sua gama de produtos”.

No caso da Alfa Romeo, o plano passa por introduzir seis versões PHEV até 2022. O Tonale, em particular, deverá socorrer-se da solução proposta para os Jeep Renegade e Compass. Ou seja, combinando o 1.3 turbo a gasolina com um motor eléctrico, para uma autonomia em modo zero emissões de 50 km, de acordo com o protocolo WLTP. A velocidade máxima estará limitada a 130 km/h, enquanto a potência máxima se fixará nos 240 cv.