A agência norte-coreana KCNA publicou esta quarta-feira um conjunto de fotografias que mostram Kim Jong-un montado num cavalo branco na montanha de Paektu, um local considerado sagrado na Coreia do Norte. Mas este não é um simples passeio a cavalo. Os conselheiros que o acompanharam creem estar para breve uma “grande operação”, uma vez que o líder norte-coreano por várias vezes visitou a montanha antes de tomar importantes decisões políticas.

As fotografias mostram Kim Jong-un em cima de um cavalo, entre árvores, numa montanha coberta de neve. Paektu, com 2750 metros, é o ponto mais alto da Península Coreana e considerado local de culto, uma vez que, segundo a mitologia coreana, foi onde nasceu Dangun, fundador do primeiro império coreano,  há cerca de 4.000 anos.

Paektu continua a ser um ponto de grande relevância para a Coreia do Norte por ser um símbolo comum na propaganda do regime de Pyongyang e porque terá sido também aqui que Kim Il-sung — avô de Kim Jong-un — usou estas mesmas montanhas como refúgio durante a ocupação japonesa.

Contudo, o passeio e a divulgação das imagens não parecem surgir em vão. Vários conselheiros de Kim Jong-un, citados pela agência KCNA, acreditam que haverá em breve “uma grande operação” que vai “abalar o mundo” e “dar um passo em frente na revolução coreana”, sem esclarecerem qual seria a operação em causa.

Analistas da Coreia do Sul, citados pelo NK News, disseram que os detalhes da visita de Kim a Paektu podem estar relacionados a eventos mundiais atuais — particularmente as negociações nucleares paralisadas com os EUA.

Especialistas também disseram ao NK News que as imagens do relatório divulgado pela KCNA — nas quais é possível ver o líder norte-coreano montando um cavalo branco, no topo de uma montanha pintada a branco —  evocam poder e nostalgia. O cavalo branco, em particular, é uma referência a Kim Il Sung.

“Fazia parte da imagem dele e há um capítulo no seu livro de memórias dedicado a um cavalo branco”, lê-se na notícia.