A urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta vai   voltar a encerrar este fim-de-semana. O fecho deste serviço começa já esta sexta-feira, dia 18, a partir das 20h30, e só termina às 8h30 da manhã de segunda-feira, dia 21, informa o hospital. A administração diz que este encerramento acontece “apesar de estar em curso uma solução para garantir a continuidade da prestação de cuidados”.

Segundo a informação enviada ao Observador, para minimizar os constrangimentos, o hospital, em articulação com o Agrupamento de Centros de Saúde Almada-Seixal, vai reforçar o atendimento nos Centros de Saúde de Almada e Seixal, com médicos especialistas em Medicina Geral e Familiar. Em concreto, haverá um reforço do atendimento complementar nos Centros de Saúde Rainha D. Leonor (Almada) e Amora (Seixal), que estarão abertos entre as 10h00 e as 17h00 de sábado e domingo, “para atender todos os utentes que necessitem de observação no âmbito pediátrico, em situações agudas mas não emergentes”.

O Hospital Garcia de Orta conclui o comunicado dizendo que continua a trabalhar em estreita articulação com a Administração Central do Sistema de Saúde, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo e o Ministério da Saúde e com outros hospitais de Lisboa para “encontrar soluções adequadas e concretizáveis no mais curto espaço de tempo possível, de modo a ultrapassar as dificuldades”.

O hospital Garcia de Orta encerrou duas vezes as urgências pediátricas em apenas três dias — na noite de sábado para domingo e de segunda para terça-feira da última semana — por não haver médicos pediatras suficientes para garantir as escalas da noite.

Na terça-feira, o presidente do Conselho de Administração da instituição adiantou que o serviço de urgência estava assegurado até sexta-feira, mas ainda nada estava decidido para o fim de semana.“Por consenso com o serviço ficou assegurado que as escalas de segunda a sexta-feira vão ser asseguradas pelo próprio serviço. Estamos a trabalhar e em conversações com a União das Misericórdias para encontrar soluções para o fim de semana“, referiu Luís Amaro no início da semana.

Ainda sobre as negociações com a União das Misericórdias, o presidente do Conselho de Administração do Garcia de Orta adiantou, esta quinta-feira à Lusa, que o hospital já fez acordos com outros hospitais e está a tentar estabelecer “uma parceira” com a União das Misericórdias Portuguesas para colmatar a falta de pediatras.

““No curtíssimo prazo, passará por estabelecer uma parceria protocolada com a União das Misericórdias, que trará médicos do norte do país, que é onde há mais pediatras, que trabalharão essencialmente ao fim de semana. É um esforço que se prevê que não pode ultrapassar mais do que um ano, um ano e meio, até repormos os nossos efetivos”, afirmou Luís Amaro à Lusa.

Além destes protocolos, o hospital tem já três vagas de contratação direta de pediatras e será lançado um novo concurso brevemente. Recorde-se que, da última vez que se abriu um concurso, nenhuma vaga foi preenchida.