Provavelmente, o Mi-Tech nunca vai ver a luz do dia, enquanto modelo de produção em série, o que não significa que todo o trabalho desenvolvido pelos técnicos japoneses vá cair em saco roto. Apresentado como um buggy irreverente, tipo Mad Max, o Mi-Tech é um descapotável com características de SUV, um cocktail que “cairia que nem sopa no mel” junto dos mais ousados amantes da natureza.

O estilo exterior é forte e pleno de personalidade, não admirando que a frente, entre outras soluções estilísticas, venha a aparecer em breve em modelos de produção corrente, como o novo estilo da marca. Isto se o público que vai invadir o Salão de Tóquio, onde o modelo está exposto, se mostre agradado com as linhas.

Se o exterior é radical, o interior não lhe fica atrás. Mas o ponto mais importante do Mi-Tech é a sua mecânica, em que uma turbina a gás desempenha o papel de gerador de energia para manter a bateria sempre recarregada. Sim, porque o buggy é eléctrico, pelo menos no que respeita à tracção.

As turbinas a gás – apesar de, segundo a marca, estarem aptas a queimar gasóleo, querosene ou álcool – não se revelam muito eficazes nas variações de regime, o seu calcanhar de Aquiles. Porém, em regime constante, conseguem ser mais pequenas, mais leves e mais económicas do que os motores de combustão tradicionais.

Resta agora aguardar para ver o que a Mitsubishi consegue fazer com tudo isto, sabendo que a marca da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi espera em 2022 apresentar SUV compactos e midsize electrificados, sem avançar se está a pensar em modelos com extensor de autonomia como este Mi-Tech, híbridos ou até eléctricos, à semelhança da Renault e da Nissan.