Curtis Jackson, mais conhecido como 50 Cent, é um dos músicos mais famosos na área do hip pop e do rap, fruto de ter vendido mais de 30 milhões de álbuns. Trocou a música pelo cinema e faliu, apenas para renascer financeiramente como empresário e empreendedor. Mas nunca perdeu uma característica: no Natal, adora oferecer presentes a si próprio.

50 Cent já se ofereceu um belo Ferrari F50, um Lamborghini e, este ano, devidamente disfarçado de Pai Natal, deixou à porta de casa – no sapatinho era uma impossibilidade – um exuberante Bugatti Chiron, não deixando de ser curioso que o artista que escolheu como nome profissional “50 cêntimos” adquira um superdesportivo pelo qual terá pago o equivalente a cerca de 3 milhões de euros.

50 Cent decorou o seu Chiron com preponderância nos painéis com a fibra de carbono à vista, com outros em azul, que é também a cor oficial do fabricante. A tradicional grelha da marca em forma de ferradura surge em azul, tom que é igualmente utilizado nas maxilas, embaladeiras laterais e pára-choques frontal. Lá atrás surgem os quatro escapes centrais, introduzidos pelo Chiron Sport.

Este Bugatti  é animado, como todos os outros, pelo tradicional motor com 16 cilindros (basicamente dois V8 juntos, com a mesma cambota) e 8 litros de capacidade, soprado por quatro turbocompressores, com a potência a passar para as rodas através de uma caixa automática de dupla embraiagem e sete velocidades, associada a um sistema de tracção integral. O resultado é uma potência de 1.500 cv, que levam o hiperdesportivo francês do Grupo Volkswagen até aos 420 km/h, e isto porque está limitado electronicamente devido aos pneus. De contrário a fasquia de 460 km/h estaria teoricamente acessível.