O Pentágono deverá deixar de comprar várias aeronaves F-35 e “drones” para canalizar mais 3,8 mil milhões de dólares para a construção do muro na fronteira com o México, uma das antigas promessas eleitorais do Presidente norte-americano, Donald Trump.

De acordo com documentos divulgados esta quinta-feira ao Congresso dos Estados Unidos da América (EUA), consultados pela agência France-Presse, o Departamento de Defesa norte-americano deverá desbloquear 3,8 mil milhões de dólares (cerca de 3,5 mil milhões de euros).

As verbas destinadas à construção do muro junto à fronteira mexicana, solução apresentada pelo chefe de Estado norte-americano durante a campanha eleitoral de 2016 e defendida ao longo do mandato presidencial de Trump, são provenientes de uma rubrica orçamental de 2,2 mil milhões de dólares (2 mil milhões de euros) do Pentágono para a compra de equipamentos para a Força Aérea e Marinha dos Estados Unidos, incluindo veículos aéreos não tripulados. A quantia restante provém de fundos inicialmente previstos para operações externas das Forças Armadas dos EUA em países como o Afeganistão, Síria ou o Iraque.

O Presidente dos Estados Unidos garantiu durante o discurso anual do Estado da Nação, em 5 de fevereiro, que o muro na fronteira com o México terá mais de 800 quilómetros construídos no início de 2021. Trump declarou que já foram concluídos mais de 165 quilómetros desta fortificação e “haverá mais” 805 quilómetros construídos até ao “início do próximo ano” — medida que a atual administração defende como prioritária para combater a entrada de imigrantes ilegais pela fronteira sul dos EUA.