Vale quase tudo na hora de entreter os mais pequenos, sobretudo numa altura em que estão a passar horas a fio dentro de casa. Com muitos pais e cuidadores a trabalhar no mesmo espaço, eis nove sugestões de atividades para reunir a família ou para dar aos adultos alguns momentos de concentração. Explorar a tecnologia ao máximo faz parte da estratégia, mas sempre com conta, peso e medida.

Uma lição sobre o coronavírus

Falar com os mais pequenos sobre o novo coronavírus pode ser delicado, mas todas as dicas apontam para uma normalização da situação. A brincar, tudo fica mais fácil. Sites como o Que Bicho Te Mordeu dão uma ajuda, adicionando ao processo de descoberta um quê de pedagogia. Perguntas como “Quantos vírus há na Terra?” e “Quanto mede um nanómetro” são respondidas. No final, será mais fácil pôr o atual surto em perspetiva.

Aulas de artes marciais

Regra geral, ter crianças em casa é sinónimo de concentração de elevadas doses de energia dentro de quatro paredes. Especializada no ensino de artes marciais, a STAT pode ter suspendido as aulas presenciais nas suas três academias mas compensa agora com a partilha de aulas online para crianças através do YouTube. O acesso é gratuito.

Spotify e as músicas para bebés

Se o rebento em questão está numa fase em que uma música calma é o suficiente para serenar os ânimos, então é aproveitar. O Spotify não serve só para os pais desbravarem novos horizontes musicais, há playlists capazes de proporcionar tranquilidade, euforia, boa disposição e, num limite desejável, sono.

Workshops de cozinha

Com o apelo ao isolamento, este serviço de chefs ao domicílio terá de esperar algum tempo até voltar a entrar pelas nossas cozinhas adentro. Contudo, não é nada que não se resolva com uma boa ligação de internet. À boleia do Dia do Pai, mas com garantia de continuidade, a Supper Stars lançou um programa de workshops virtuais, com o pretexto de reunir as famílias à volta dos tachos. Pizza, massa fresca, receitas saudáveis ou bolachas de chocolate são algumas das opções disponíveis, com o chef a conduzir as operações diretamente da sua cozinha. O preço destas aulas privadas começa nos 60 euros, a duração varia entre 45 e 60 minutos.

Uma biblioteca digital

E se tivéssemos uma biblioteca virtual sempre à disposição? Ela existe, está na página oficial do Plano Nacional de Leitura e tem quase 40 livros em formato digital para miúdos até aos 15 anos, muitos deles também disponíveis em audiolivro.

Experiências científicas no YouTube

Por estes dias, a Science4you oferece 20% de desconto na loja online. Uma oportunidade para quem ainda não tem nenhum destes avançados equipamentos em casa, se bem que no YouTube há experiências que não exigem grandes ferramentas. Aprender a fazer plasticina caseira ou pega monstros, a polir moedas e a construir um xilofone de água são alguns dos desafios lançados no canal oficial da marca portuguesa.

Pintar: as apps e sites

Caso os livros em papel falhem, haverá sempre sites e aplicações para as crianças que queiram pintar. O Colorir Online é um deles, com categorias temáticas como monstros, dinossauros, princesas e bichinhos. Aos desenhos, o Hello Kids, outro site, junta os tutoriais de trabalhos manuais mais complexos, quase sempre com o papel como principal matéria-prima. Aplicações existem várias: espreite a Livro para Colorir e a Pintar e Aprender Animais.

Exercício físico em família

Manter a boa forma física não é uma necessidade exclusiva dos adultos (talvez até seja, mas as crianças podem fazê-lo mais por diversão do que outra coisa). Dentro de casa, esta pode ser outra das formas de escoar a quantidade de energia acumulada. O Treino Infantil de Bruno Salgueiro é só uma das opções disponíveis, se bem que todas as outras tendem a ser menos exigentes.

Aprender inglês com o British Council

Depois da Porto Editora e da Leya terem disponibilizado aulas online gratuitas para todos os alunos, eis que os pais ou cuidadores têm a porta aberta para introduzir outras atividades educativas, nomeadamente atividades em inglês. O British Council tem três aplicações desenvolvidas para crianças até aos seis anos, cada uma delas focada num nível diferente de aprendizagem da língua — primeiras palavras, frases e desenvolvimento de leitura.