Pela primeira vez, o boletim diário da DGS desta terça-feira expôs o número de casos de doentes infetados com Covid-19 especificados por concelho do país. Nesse ranking, o concelho de Ovar (em Aveiro) aparecia em sétimo lugar, com apenas 55 casos confirmados. Problema: um asterisco, em letras pequenas, acrescentado a meio da tarde de ontem, depois de terem saído notícias a alertar para o “apagão” de números, dava conta de que o número de casos por concelho reportado pela DGS só dizia respeito a 54% do total de casos confirmados.

Ou seja, os números podem ser bem maiores. Foi o que aconteceu em Ovar, com o presidente da câmara a alertar para o facto de não serem 55 mas sim 101 os doentes naquele concelho, ou seja, quase o dobro. Antes, o alerta já tinha sido dado em relação ao “apagão” de 70 casos no Minho.

Numa publicação no Facebook, o presidente da câmara de Ovar, Salvador Malheiro, é taxativo: “O número atualizado de infetados confirmados neste momento no município de Ovar é 101, o que é bem diferente dos 55 que hoje foram anunciados”.

O autarca, que é também vice-presidente do PSD, apela a ajuda do Ministério da Saúde, sublinhando que a situação “continua muito complicada” começando a “aparecer doentes infetados em estado grave e muito grave”.

Mais do que o número de infectados confirmados o que mais nos interessa é o número de vidas que poderemos salvar.A…

Posted by Salvador Malheiro on Tuesday, March 24, 2020

“Mais do que o número de infetados confirmados o que mais nos interessa é o número de vidas que poderemos salvar”, lê-se ainda na publicação do presidente da câmara de Ovar, município onde foi decretado estado de calamidade, ainda antes do decreto nacional de estado de emergência, dado o acelerar do contágio e confirmação de múltiplos casos num curto espaço de tempo.

Ovar fechou portas e tenta, dessa forma, controlar o surto de Covid-19.

Uma das discrepâncias mais evidentes foram os números de infetados no Minho. O Diário do Minho deu conta do “apagão” de mais de 70 casos positivos e questionou a DGS, que admitiu ter-se “esquecido” de coloca no boletim informativo Covid-19 46% dos casos confirmados como positivos em Portugal.

Depois do alerta, a DGS acabou por alterar nota do boletim e acrescentou a frase “informação reportada a 54% dos casos confirmados”.

*artigo atualizado com informação de que o boletim da DGS mostra apenas 54% dos casos confirmados em cada concelho