A Jacob & Co apresentou um dos relógios mais complexos do mercado, o Bugatti Chiron Tourbillon, que além de ter o simulador de um motor com 16 cilindros em W, similar ao que equipa o Chiron, exige um investimento de 260.000€ – valor que permite igualmente adquirir um Ferrari Portofino ou um Lamborghini Huracán.

Há uma estranha sintonia entre superdesportivos e “super” relógios, pois os clientes que adquirem os mais caros exemplares sobre rodas tendem a investir também em modelos com ponteiros que exigem valores similares. Como se isto não bastasse, em termos de complexidade, superdesportivos e relógios tourbillon exigem ser montados por artífices, além de serem fabricados em reduzidas quantidades, não só para manter a exclusividade lá em cima, como para justificar os custos astronómicos.

A Jacob & Co desenhou e produziu o Bugatti Chiron Tourbillon, um relógio mecânico e vários níveis de relojoaria, com 5,4 cm de comprimento, 4,4 cm de largura e 2,0 cm de altura, formado por 578 peças fabricadas à mão. A principal característica, apesar de não ser a mais valiosa, é o facto de o modelo incluir uma animação do motor W16 do Chiron, com os 16 cilindros móveis, o que desde logo obriga a uma complexidade adicional.

A máquina está suspensa nos quatro cantos por oito amortecedores e os 16 mini-pistões não são decorativos, pois movem-se durante 20 segundos sempre que se acciona um dos botões no topo, que se utilizam para acertar ou para dar corda.

Esta criação da Jacob & Co para a Bugatti tem informações sobre as horas e os minutos, com o fabricante a alegar que as janelas laterais permitem ver como o mecanismo do Tourbillon funciona, para compensar desvios pelo efeito da gravidade ou da posição do relógio.

Além referência à Bugatti, há diversos pormenores que colam o modelo à prestigiada marca francesa, do emblema ao W16, passando pelo indicador da quantidade de corda, similar ao indicador do depósito de gasolina, onde nem falta a referência ao “full” e “empty”.

Apesar do preço elevado, cerca de  260.000€, qualquer um pode adquirir um Chiron Tourbillon, sem ter de comprar o desportivo da Bugatti, que é transaccionado por 2,5 milhões de euros, antes de impostos.