Num dia em que a Rússia registou 6.060 novos casos de covid-19, um crescimento sem precedentes no país que tem agora quase 43.000 pessoas infetadas, o presidente russo, Vladimir Putin, garantiu que a situação está controlada. Já morreram 361 pessoas no país.

Numa mensagem de vídeo divulgada pelo Kremlin este domingo, dia em que se comemora a Páscoa ortodoxa, Putin afirmou que “todos os níveis do poder estão a trabalhar a um bom ritmo, de forma organizada e responsável”, acrescentando que “a situação está sob controlo total”.

O presidente russo destacou que o país dispõe de “uma economia saudável, forte, potencial científico, o material necessário e uma base altamente profissional no campo dos cuidados médicos”.

“Analisámos cuidadosamente a experiência de outros países, interagimos ativamente com os nossos amigos e colegas estrangeiros, entendemos o que se está a passar, vimos os riscos, sabemos o que é preciso fazer e fazemos o que é necessário”, prosseguiu.

A luta contra a covid-19, doença respiratória causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, “requer recursos e reservas adicionais e grandes”, mas Putin assegurou que a Rússia tem esses recursos e que os usa “para ajudar as pessoas, as famílias que agora se encontram numa situação difícil”.

No dia em que se celebra a Páscoa ortodoxa, o líder russo garantiu que “tudo ficará bem, com a ajuda de Deus”.

Depois de um aumento, nas últimas 24 horas, de 6.060 casos positivos, a Rússia aproxima-se dos 43.000 casos de infeção pelo novo coronavírus. O país conta 361 mortes relacionadas com a covid-19.

Com uma população de quase 12 milhões de habitantes, Moscovo é a cidade mais afetada pela pandemia, registando, nas últimas 24 horas, 3.570 novos casos da doença que já atingiu 24.324 moscovitas.

Segundo as autoridades, o aumento exponencial de casos deve-se à realização de mais testes. Até à data, a Rússia realizou mais de 1,9 milhões de análises à covid-19.