Quem diria que o must-have de 2020 iam ser as máscaras? E, em Portugal, tal como em muitos outros países, o estrangeirismo surge no seu sentido mais literal. A partir da próxima segunda-feira, vamos começar gradualmente a sair de casa, o que só faz ressaltar ainda mais a importâncias destas peças num novo quotidiano que teremos de aprender a dominar. Se o pudermos fazer em grande estilo e com um toque de cor, ainda melhor.

A necessidade de nos protegermos, e aos outros, acabou por espicaçar os mais criativos. A resposta foi quase imediata — enquanto marcas e designers adaptaram as ferramentas que já tinham à produção de uma nova peça, outros criaram etiquetas de raiz para marcar ideias frescas. Da indústria e centros tecnológicos também saem bons exemplares e ainda quem, meio espontaneamente, surpreenda amigos através das redes sociais. Normalmente, quando a ideia é boa, o efeito é de bola de neve.

São laváveis, reutilizáveis e feitas a partir de vários tipos de tecido. Muitas marcas estão a usar o Instagram para receberem encomendas e exporem as chamadas máscaras sociais (não cirúrgicas). Foi lá que encontramos algumas das propostas com mais pinta para alegrar este período sombrio, incluindo as máscaras feitas pela marca que confeciona algumas das exuberantes camisas de Manuel Luís Goucha. Há sugestões para miúdos, com outros acessórios a condizer e sóbrias ao máximo. São 24 e estão todas na fotogaleria.