Com cerca de 140 mil habitantes, a ilha de Wight, localizada na costa sul da Inglaterra, será a cobaia de uma app desenvolvida pelo Reino Unido para controlar o contágio do novo coronavírus. Estará disponível a partir desta terça-feira para download e o objetivo é fazer com que a sua utilização ser alargada a toda a população britânica. Mas como é que funciona ao certo?

Uma vez feito o download da app, os residentes da ilha de Wight deverão ativar o bluetooth. É que esta funcionalidade vai permitir registar de forma anónima os utilizadores que estiveram em contacto próximo uns com os outros (neste caso, os seus telemóveis). Assim, se alguma vez alguma dessas pessoas desenvolver sintomas ou for mesmo diagnosticada com a Covid-19, os restantes utilizadores com quem tiveram um contacto próximo recebem um notificação — tudo de forma anónima, alerta a SkyNews.

Mas isto só será permitido através de um sistema manual com cerca de 18 mil funcionários do Serviço Nacional de Saúde (NHS, na sigla britânica) que vai funcionar em paralelo com a app. Por exemplo, se o indivíduo X se cruzar com o indivíduo Y no supermercado e se, mais tarde, o indivíduo Y der positivo para a Covid-19, os funcionários irão avisar, através da app, o indivíduo X de que esteve próximo de uma pessoa infetada, escreve a BBC. Mas só se o infetado, o indivíduo Y, autorizar que a app informe o NHS.

UK In Sixth Week Of Coronavirus Lockdown

Uma das perguntas feitas pela app: “Como se está a sentir hoje?”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Assim que um novo utilizador se inscreve, é-lhe perguntado: “Como se está a sentir hoje?”. Se a resposta for que não se está a sentir bem, surge uma lista de novas perguntas de despistagem: “Tem febre?” ou “Começou a ter tosse de forma continuada e recentemente?” são os exemplos. Se os sintomas indicarem que a pessoa pode estar infetada, será aconselhada a fazer um teste.

A app tem em consideração a duração desse contacto e a força do sinal de bluetooth durante o mesmo, de forma a avaliar o risco representado  — o que significa que a app não irá forçar a ficar em quarentena todas as pessoas que passaram por quem alguém infetado por milésimas de segundo e a uma distância considerável, escreve a SkyNews. As variações de sinal de bluetooth também serão usadas para determinar se dois telemóveis estão perto um do outro, mas através de uma parede, por exemplo. Aí, apesar da proximidade, não há risco de contágio.

Aplicação móvel para controlar contágio no Reino Unido pronta dentro de semanas

E por que razão a ilha de Wight foi escolhida? O ministro da Saúde britânico explicou que a ilha tem uma população muito envelhecida e um menor número de pessoas com smartphones. Ou seja, desta forma, a app vai ser testada num local “com o maior número de dificuldades possível”.

[A localização da ilha de Wight, a maior do Canal da Mancha]

As restrições de movimentos não serão aliviadas na Ilha de Wight durante o período em que a app será testada, mas as autoridades acreditam que a aplicação pode desempenhar um papel importante no levantamento dessas restrições, em conjunto com outras medidas, incluindo testes e rastreamento manual de contactos.