Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, diz que o polémico vídeo de uma reunião ministerial divulgado na sexta-feira não mostra qualquer tipo de interferência presidencial na Polícia Federal, enquanto o ex-ministro da Justiça, Sergio Moro (que se demitiu dois dias depois da reunião a que o vídeo diz respeito), assegura que as imagens são a prova definitiva da tentativa de Bolsonaro de interferir na gestão da Polícia Federal do Brasil.

A controvérsia estalou na noite de sexta-feira, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) brasileiro divulgou publicamente um vídeo de uma reunião do Governo do Brasil que decorreu em abril. Na gravação, é possível ver o Presidente Jair Bolsonaro assegurar que pretende interferir na Polícia Federal — polémica que levaria, depois, à demissão do ministro da Justiça, Sergio Moro.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.