O ministro da Justiça do Brasil, Sergio Moro, apresentou a sua demissão esta sexta-feira, em protesto contra a decisão de Jair Bolsonaro de exonerar o diretor-geral da Polícia Federal (PF), homem da confiança do ex-juiz e que investigava figuras da proximidade do Presidente. Bolsonaro vai explicar às 17 horas do Brasil (21 horas em Portugal continental) os motivos das duas demissões: de Maurício Valeixo da Polícia Federal e de Sérgio Moro de ministro da Justiça. O presidente brasileiro disse no Twitter que nessa conferência de imprensa vai “restabelecer a verdade”.

Sergio Moro, que foi um dos mentores da Operação Lava Jato e que esteve por trás da investigação que resultou na prisão do ex-Presidente Lula, acusou Jair Bolsonaro de querer interferir politicamente na Justiça e de insistir junto dele para ter uma pessoa próxima a dirigir a PF.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.