Uma equipa internacional, composta por vários investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) conseguiu, através do espetrógrafo ESPRESSO, confirmar a existência do planeta que orbita a estrela mais próxima do Sistema Solar, foi esta terça-feira anunciado.

Em comunicado, o IA avança que o estudo, aceite para publicação na revista científica Astronomy & Astrophysics, confirmou a “existência do exoplaneta ‘Proxima b'”, considerado pelos investigadores a “ExoTerra mais próxima do nosso Sistema Solar”.

Este exoplaneta, que “parecia ter massa semelhante à da Terra” e estaria dentro da “chamada zona de habitabilidade da sua estrela-mãe”, foi detetado pelo espetrógrafo HARPS há cerca de quatro anos.

De acordo com o IA, a confirmação deste exoplaneta só foi possível agora graças ao “poder coletor” do Very Large Telescope (VLT) do Observatório Europeu do Sul (ESO), no Chile, em combinação com a resolução e precisão do ESPRESSO.

“Os dados obtidos têm uma precisão de cerca de 30 centímetros por segundo e demonstram que o ESPRESSO tem capacidade para detetar planetas com a massa da Terra e até inferior”, salienta o instituto português.

Citado no comunicado, João Faria, um dos investigadores do IA responsáveis pela análise dos dados recolhidos, refere que o espetrógrafo ESPRESSO permitiu “de forma independente” confirmar “a presença do planeta a orbitar a Proxima Centauri, a estrela mais próxima de nós”.

“A análise dos dados ajudou-nos a desenvolver novas técnicas para detetar planetas de pequena massa. Estas técnicas estão agora a ser aplicadas a outras estrelas, mais parecidas com o Sol, à procura de planetas como a Terra”, avança o investigador.

Também Nuno Cardoso Santos, investigador do IA e professor na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), salienta que os resultados demonstram “o potencial do ESPRESSO para detetar outras Terras no Universo”.

“Nos próximos meses vamos certamente ver mais resultados extraordinários”, garante.

Para Pedro Figueira, investigador do IA, este é o “primeiro resultado científico que faz uso da precisão em velocidades radiais do espetrógrafo ESPRESSO”, adiantando que os dados obtidos mostram “o futuro brilhante” do instrumento.

Além do exoplaneta ‘Proxima b’, a equipa de investigadores encontrou também indícios de um “segundo sinal nos dados”, no entanto, a origem ainda não foi identificada.

O ESPRESSO, instrumento de alta resolução instalado no observatório VLT, foi concebido para procurar planetas parecidos com a Terra, capazes de suportar vida.