À semelhança dos outros fabricantes premium, também a Maserati necessita de produzir e comercializar veículos electrificados para reduzir as emissões médias da gama, em termos de dióxido de carbono. Isto enquanto não chegam os modelos 100% eléctricos. A estratégia do construtor italiano do Grupo FCA passava por revelar o seu primeiro veículo electrificado durante o Salão de Pequim, que esteve previsto para Abril, antes de ser anulado devido à Covid-19. Mas como os eventos deste calibre estão condenados, pelo menos enquanto durar a pandemia, a Maserati teve de adoptar um plano B.

Com a apresentação do Ghibli Hybrid prevista para breve, os italianos têm tentado gerar algum ruído em torno do seu primeiro modelo electrificado, revelando informações a conta-gotas e publicando teasers para manter o foco num veículo que promete andar e gastar (e poluir) menos. O mais recente é este vídeo que aqui publicamos, que a Maserati divulgou através das redes sociais.

O Ghibli Hybrid trará consigo algumas melhorias estéticas, mais equipamento, mais conectividade e mais sistemas de ajuda à condução. Porém, o que promete fazer a diferença é a mecânica que, pela primeira vez no construtor transalpino, alia ao motor principal a gasolina um segundo eléctrico, que reforça a potência, mas que reduz consumos e emissões.

Em 2018 a Maserati afirmou que o seu primeiro modelo electrificado seria um híbrido plug-in e, francamente, não faz sentido ser de outra forma neste segmento topo de gama, pois só assim as vantagens são evidentes, tanto para a carteira como para o ambiente. Isto se o condutor recarregar a bateria sempre que possível. O motor a combustão deverá continuar a ser o mesmo 3.0 V6 sobrealimentado, que tem versões de 350 e 430 cv. Mas o consumo anunciado deverá baixar de cerca de 12 litros para menos de 4 e as emissões de CO2 por quilómetro de 275g para menos de 50g.

Our future is charged

Our future is charged. #SparkTheNext #Maserati

Posted by Maserati on Wednesday, June 3, 2020