A organização da Web Summit emitiu um comunicado no qual esclarece que a conferência se vai realizar de 2 a 4 de dezembro e vai contar com uma arte online e outra offline. Até aqui aquela que é a maior conferência de empreendedorismo e tecnologia da Europa tem decorrido na primeira semana de novembro. Na semana passada, Paddy Cosgrave disse no Twitter que a Web Summit ia decorrer em Lisboa, mas tal como o Observador noticiou, não revelou os moldes em que iria acontecer a edição de 2020.

“Ao contrário do que se especulava, a Web Summit vai avançar — online e offline de 2 a 4 de dezembro de 2020. Vai contar até com 100 mil empreendedores, oradores e parceiros na plataforma online da qual é proprietária”, explica a organização no comunicado.

Paddy Cosgrave: “A Web Summit vai decorrer em Lisboa este ano”

Desde terça-feira que está a decorrer o Collision From Home, a versão exclusivamente online do Collision, um evento irmão da Web Summit que decorre tradicionalmente em Toronto, no Canadá. No comunicado, a organização explica que este será o segundo evento da empresa a ser assegurado por esta plataforma, que atualmente está a contar com participantes vindos de 140 países para assistir ao Collision From Home.

“A edição da Web Summit online terá um foco significativo em ajudar a acelerar a recuperação económica de Portugal, trabalhando em conjunto com as autoridades portuguesas para promover os principais objetivos e mensagens do país para os participantes certos”, lê-se no comunicado.

Evento irmão da Web Summit arrancou online, mas Paddy quer Collision ao vivo já em 2021

A organização explica ainda que as conferências vão ser transmitidas online a partir de um estúdio no Altice Arena, bem como a partir de outros estúdios colocados em diferentes cidades do país. “Pela primeira vez, vai existir um canal exclusivamente dedicado a Portugal. Durante três dias, os líderes de centenas de startups portuguesas bem como de grandes empresas vão ser entrevistados, enquanto que as universidades e outras instituições de investigação também vão participar”, acrescenta o mesmo comunicado. Além disso, este canal também vai promover a cultura e arte portuguesa.

Paddy Cosgrave explica ainda que o formato da Web Summit em Lisboa só deverá ser decidido no início de outubro, “Por essa altura, seja qual for a decisão que for tomada sobre o formato da Web Summit em Lisboa, este aderirá de forma rigorosa aos protocolos de saúde que estiverem em vigor para essa altura em Portugal. “Essa decisão será revista semanalmente e sujeita a mudanças relativas aos protocolos de saúde até ao dia da abertura da Web Summit, a 2 de dezembro.

“Esta semana, estamos a ver milhares de pessoas a ligarem-se na nossa nova plataforma. Temos estado a desenvolver software que permite ligações a eventos há mais de meia década, por isso conseguimos mudar [para este formato online] de uma forma muito natural e ainda temos mais seis meses para continuar a desenvolver por cima do que já construímos por esta altura. A nossa plataforma vai permitir à comunidade portuguesa encontrar-se com pessoas do mundo inteiro para que consigam fazer as ligações tão valiosas e com tanto significado como as que decorrem no mundo real. Estamos profundamente empenhados em trabalhar com as autoridades portuguesas para trazer o máximo benefício possível para a economia do país — através de iniciativas da comunidade e das startups, ao incluirmos mais de 50 mil estudantes e ao amplificarmos o programa Road2WebSummit — para ajudar a amplificar o ecossistema tecnológico português que tem vindo a crescer imenso de ano para ano”, disse Paddy.

As habituais iniciativas do evento (em colaboração com o governo português) vão decorrer na mesma: serão dados 100 passes a startups escolhidas pela Startup Portugal (organização que executa a Estratégia Nacional para o Empreendedorismo), serão distribuídos 50 mil bilhetes a estudantes universitários e recém-licenciados com interesse em trabalhar para as startups portuguesas ou que queiram criar as suas. E, em setembro, cada universidade portuguesa vai receber uma proporção de bilhetes para distribuir pelo seu ecossistema.

“A Web Summit está comprometida em criar 10 mil reuniões em vídeo entre empresas portuguesas e investidores internacionais, bem como com jornalistas e potenciais clientes e parcerios”, lê-se no comunicado.

A Web Summit realiza-se tradicionalmente no Parque das Nações, na FIL (Feira Internacional de Lisboa) e no Altice Arena. Este ano, o evento tinha data marcada para 2 a 5 de novembro.

Em 2018, foi assinado um contrato de 10 anos com a CML e o Governo que implica um investimento público de 11o milhões de euros ao todo, o que perfaz 11 milhões de euros por ano. Na altura, Fernando Medina, presidente da CML, dizia: “Ganhámos”. Na mesma apresentação foi revelado que a FIL ia ter obras até 2022 para duplicar a capacidade das exposições também para as ambições de crescimento da Web Summit.