O Collision From Home, a edição somente online do Collision — o evento irmão da Web Summit, que decorre normalmente no Canadá –, arrancou esta terça-feira por volta das 15h em Lisboa. Sendo online, e com o mundo a viver ainda esta pandemia, não houve espaço para grandes cerimónias de abertura com botões a serem carregados num palco cheio de pessoas. De forma simples, o evento arrancou com Paddy Cosgrave, presidente executivo da Web Summit, a entrevistar por videochamada John Tory, o presidente da câmara de Toronto. “Sentimos a sua falta aqui”, assume Tory.

Paddy perguntou a John Tory como é que a cidade tem reagido à pandemia, referindo que, mesmo estando longe, o Collision “continua a ser um evento de Toronto”.  Para o final, deixou a pergunta de um milhão de euros: “Acha que é uma possibilidade o Collision decorrer em 2021, como está marcado, em Toronto”?. Tory respondeu: “Temos de ver, mas sou otimista”.

As conferências estão a ser realizados por videochamada. Até agora, apenas a de Paddy Cosgrave não tinha a indicação no topo de estar a ser em direto ou o número de pessoas que estavam a assistir

A conversa decorreu no palco principal, que agora se chama “channel 1” [canal 1, em português], e, como diz o nome, é uma das várias plataformas de vídeo online nas quais os participantes vão poder assistir às conferências.

“Como é que está o setor tecnológico de Toronto a reagir à pandemia?”, perguntou também Paddy Cosgrave. De acordo com Tory, o que “o surpreende é o nível de confiança que se mantém na cidade”. “As pessoas olham a crise de 2008 mas sabem da inovação tremenda que surgiu a seguir”, referiu. “Acho que o ecossistema tecnológico vai encaixar-se com estes problemas atuais [para resolvê-los]”, disse também.

Na conversa de 10 minutos, o também responsável da Web Summit não referiu uma única vez o evento principal da organização que lidera e que continua marcado em Lisboa, para o próximo mês de novembro. Além disso, Paddy não mostrou arrependimento e agradeceu “o apoio do presidente e da equipa para mudar o formato do evento”. A decisão de tornar o Collision num evento online foi feita em março.

De acordo com a organização, os números de participação neste evento continuam a ser grandes. “Mais de mil startups e 30 mil participantes”. Este ano, a diferença é que é tudo online. Para isso, os participantes têm de instalar uma app no smartphone podendo também acompanhar o evento no site para computadores.

Antes de o evento começar, a organização assumiu e pediu “paciência” aos utilizadores devido a problemas com o registo e entrada na plataforma do Collision. De acordo com mensagem do Collision, estes problemas decorreram devido ao elevado número de pessoas que estavam a tentar aceder.

O Collision From Home decorre até quinta-feira e vai receber nos vários canais online nomes como: Pierre-Dimitri Gore-Coty, vice-presidente do Uber Eats; Brittany Kaiser, uma das denunciantes que revelou o escândalo da Cambridge Analytica; os criadores da rede social Tik Tok; ou Gillian Tans, a presidente do conselho de administração do Booking, entre outros nomes relevantes do ecossistema tecnológico que também costumam marcar presença na Web Summit. Esta terça-feira, o canal principal do evento vai ainda receber Tedros Adhanom Ghebreyesus, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde.

Paddy Cosgrave: “A Web Summit vai decorrer em Lisboa este ano”

Entre as apresentações que têm decorrido, o Collision From Home tem mostrado um vídeo promocional à Web Summit, mas sem falar de datas. Na semana passada, Paddy Cosgrave revelou através do Twitter que “a Web Summit vai decorrer em Lisboa” seguindo os “mais rigorosos protocolos de saúde, conforme orientação do Governo de Portugal. Contudo, desde 16 de junho, data da publicação, nem o governo, nem a Câmara Municipal de Lisboa, nem a organização da Web Summit avançaram mais informações.

No final de maio, um responsável a organização deste evento referia ao Observador que o Collision “vai ser um bocadinho um teste” para perceber como decorre a transmissão online e como o software do evento funciona, podendo, eventualmente, ser também um dos “cenários” para a Web Summit em Lisboa.