O fundador e presidente da Web Summit, Paddy Cosgrave, levantou esta terça-feira um pouco o véu sobre a edição de 2020 da maior conferência de tecnologia e empreendedorismo da Europa: “A Web Summit vai decorrer em Lisboa este ano”, escreveu no Twitter. Especificando pouco em que moldes é que o evento — que no ano passado recebeu mais de 70 mil pessoas, de 163 países, em Lisboa — vai decorrer, a garantia de que não vai ser cancelada está dada. O Observador tem tentado contactar a Web Summit para obter mais informações sobre o evento, mas ainda não obteve resposta.

Uma hora depois da primeira publicação, Paddy Cosgrave utilizou a mesma rede social e adiantou que “a Web Summit vai aderir aos mais rigorosos protocolos de saúde, conforme orientação do Governo de Portugal”.

Fonte da Câmara Municipal de Lisboa diz que ainda esta semana vai ser divulgado um comunicado de imprensa conjunto da autarquia, Web Summit e Governo (as três entidades que assinaram o acordo de 10 anos para a permanência da conferência em Lisboa até 2028) sobre a informação avançada por Paddy Cosgrave no Twitter.

Como é que vai ser a Web Summit 2020? Ainda não se sabe exatamente

As dúvidas sobre o impacto que a pandemia de Covid-19 teria na maior conferência de empreendedorismo e tecnologia da Europa, com data marcada para a primeira semana de novembro, eram muitas: manteria o formato tradicional ou optaria por um evento online, à semelhança do que vai acontecer com a conferência irmã Collision, no Canadá?

No final de maio, o responsável pela comunicação da Web Summit dizia ao Observador que o foco da organização estava no Collision, o evento irmão da Web Summit no Canadá, que este ano vai decorrer completamente online entre 23 e 25 de junho. António Neves Costa explicava que o evento “vai ser um bocadinho um teste” para perceber como decorre a transmissão online e como o software funciona.

Sobre o que poderá acontecer na conferência de empreendedorismo e que decorre em Lisboa, para já, ainda nada estava decidido, mas a organização avançava que “é sempre um dos cenários a Web Summit ser completamente online”.

No início de junho, Paddy Cosgrave dizia em entrevista ao Recode, como avançou o Dinheiro Vivo, que a decisão de o evento decorrer fisicamente em 2020 “é do governo português”. “No caso da Web Summit, em Lisboa, temos um compromisso com o Estado português e será o governo a decidir se será ou não presencial”, afirmou o irlandês. Sem nunca pôr em cima da mesa a hipótese de não existir edição este ano, Cosgrave referiu também que a empresa estava preparada para fazer uma edição apenas online.

Horas após os tweets a anunciar que o evento ia decorrer em Lisboa, Paddy, sem avançar mais informações sobre esta edição, fez um novo tweet, mas sobre o Collision. Neste, o fundador da Web Summit afirma que a organização “passou uma década a construir conferências e software para conferências” e anunciou o lançamento da app que vai estar por detrás do Collision online.

Não obstante, Paddy Cosgrave referiu também que o evento poderia ter um formato híbrido, dando como exemplo a IFA, a maior feira de eletrónica de consumo do mundo que decorre em Berlim, na Alemanha. Este ano, este evento que costuma receber mais de 200 mil visitantes na capital alemã no início de setembro, vai realizar apenas quatro mini-conferências, com uma lotação máxima de mil pessoas cada, tendo várias componentes online.

Web Summit completamente online? “É um dos cenários”, nada está decidido sobre edição de 2020

Os mais “rigorosos protocolos de saúde” que têm sido implementados noutros eventos em Portugal

A pandemia de Covid-19 veio cancelar os grandes eventos em Portugal, mesmo os que se passavam ao ar livre, como os festivais de verão. Esta medida vai vigorar, pelo menos, até 30 de setembro. Os jogos de futebol regressaram recentemente, mas à porta fechada, permitindo apenas a presença de 185 pessoas em dia de jogo nos estádios e tendo outras restrições sanitárias.

No caso de concertos e outras atividades culturais, a Direção-Geral da Saúde (DGS) publicou um guia com medidas restritas que passam por um lugar livre entre espectadores, lugares desencontrados com as filas da frente, pouco envolvimento físico entre atores, orquestras em cima do palco e não no fosso, máscaras obrigatórias em salas fechadas. Além disso, a DGS restringiu neste documentos o número de participantes que podem ir a museus ou outras atividades semelhantes ao que é a Web Summit.

Web Summit em Lisboa por mais 10 anos com investimento de 110 milhões

A Web Summit realiza-se no Parque das Nações, na FIL (Feira Internacional de Lisboa) e no Altice Arena. Este ano, o evento continua com data marcada para 2 a 5 de novembro.

Em 2018 foi assinado um contrato de 10 anos com a CML e o Governo que implica um investimento público de 11o milhões de euros ao todo, o que perfaz 11 milhões de euros por ano. Na altura, Fernando Medina, presidente da CML, dizia: “Ganhámos”. Na mesma apresentação foi revelado que a FIL ia ter obras até 2022 para duplicar a capacidade das exposições também para as ambições de crescimento da Web Summit.