A Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) divulgou o novo calendário para a implementação da próxima infraestrutura de telecomunicações em Portugal, o 5G. Em comunicado, a reguladora anuncia que a nova data para o leilão dos direitos de utilização do espectro para implementação da tecnologia (faixas 700 MHz, 900 MHz, 1800 MHz, 2,1 GHz, 2,6 GHz e 3,6 GHz), está agora marcado para “outubro de 2020”.

5G. Anacom retoma processo e consulta pública termina em 3 de julho

O leilão do espectro do 5G estava marcado desde 2019, depois de muita antecipação, para abril deste ano. Contudo, devido à pandemia e implementação do estado de emergência, a reguladora das telecomunicações suspendeu o processo. Só no início deste mês é que o processo voltou a andar com a conclusão do procedimento da consulta pública do projeto de regulamento do leilão, que terminou a 3 de junho.

Governo aprova estratégia para o 5G

“Participaram na consulta organismos governamentais, os dois Governos regionais, reguladores, instituições públicas, autarquias locais, prestadores de serviços de comunicações eletrónicas, fabricantes e o público em geral”, adianta a Anacom. Agora, a nova data esperada para o lançamento das redes 5G em Portugal é “jan/fev. 2021”.

A ANACOM considera oportuno atualizar o calendário indicativo para a realização do  leilão, em face do impacto da suspensão do procedimento de consulta pública entre março e junho devido à crise pandémica”.

Anacom anuncia leilão do 5G para abril de 2020

O 5G é o nome que se dá à próxima geração de redes de telecomunicações e que vai substituir o 4G — que usamos atualmente. O nome pode ser traduzido para “quinta geração de internet móvel”. Na prática, é o nome que se dá à tecnologia sem fios que usaremos para comunicar e que, nos próximos 10 anos (presume-se), vai substituir o 4G, oferecendo velocidades mais rápidas e a possibilidade de mais equipamentos poderem estar ligados entre si. Ou seja, será a base para a utilização de tecnologias como carros autónomos ou outras inovações.