Hong Kong registou, esta segunda-feira, 52 novos casos de SARS-CoV-2, o valor mais alto desde 29 de março. O governo vai implementar, a partir de quarta-feira, novas medidas de prevenção dos contágios, noticia o South China Morning Post.

Quatro pessoas à mesma mesa nos restaurantes ou quatro pessoas juntas na rua vão ser os limites impostos a partir de quarta-feira. Além disso, os restaurantes deixam de poder servir refeições no próprio espaço entre as 18 horas e as 5 horas do dia seguinte. Adicionalmente, o uso de máscara vai ser obrigatório nos transportes públicos.

As medidas chegaram depois de terem sido registados mais de 200 novos casos numa semana, mas os especialistas em saúde pública dizem que a responsabilidade é do governo que suavizou demasiado as medidas. Por exemplo, deixou de exigir testes e quarentena aos tripulantes dos aviões e cruzeiros. Na última quarta-feira foram confirmados 14 casos entre estes profissionais.

Desde 4 de julho que os novos casos no território têm aumentado, o que leva os especialistas a falarem de uma terceira vaga. As autoridades de saúde de Hong Kong dizem mesmo que é a pior crise de saúde pública até ao momento, ainda pior do que a primeira vaga de Covid-19 que atingiu o território.

Hong Kong registou até ao momento 1.570 casos de infeção com SARS-CoV-2 e oito mortes devido à Covid-19.