A deputada não inscrita Cristina Rodrigues apresentou esta segunda-feira uma queixa à Ordem dos Médicos Veterinários, na sequência do incêndio num abrigo que levou à morte de 54 animais em Santo Tirso, exigindo “ação urgente” às autoridades competentes.

Num comunicado enviado às redações, a ex-deputada do Pessoas-Animais-Natureza (PAN) informa que “já avançou com questões aos ministérios da Administração Pública e da Agricultura, bem como à própria Câmara Municipal, além de queixa à Ordem do Médicos Veterinários”.

A deputada, citada na nota, considera que “por um lado, exige-se explicações acerca postura da GNR ao impedir o acesso de quem se dispôs a ajudar, quando em causa estavam vidas! Por outro, o veterinário municipal que, segundo tem sido divulgado, nem sequer foi ao local”.

Cristina Rodrigues considera que o incidente tem gerado uma onda de protestos nas redes sociais “também pelas circunstâncias pouco claras da situação”, vincando que “o acesso pela GNR terá sido negado a pedido das proprietárias que se encontravam dentro do abrigo ou nas suas imediações” e que diversos populares defendem que os animais poderiam ter sido salvos.

“Negligência, maus tratos e falta de auxílio ganham neste caso uma dimensão concreta e muito grave que não podemos ignorar. A minha esperança é que esta situação tão dolorosa acabe por nos ajudar a alcançar uma legislação mais robusta de proteção animal”, adianta a deputada citada na nota.

O incêndio do passado domingo atingiu dois canis na freguesia de Agrela, em Santo Tirso (Porto), e matou 54 animais este fim de semana, tendo 190 sido recolhidos com vida. Segundo a autarquia, 113 animais foram realojados em canis municipais e associações e os restantes 77 foram acolhidos por particulares.

Incêndio em Santo Tirso. GNR confirma que impediu populares de aceder ao terreno e diz que resgatou “os animais que foi possível salvar”

Entretanto, o partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) informou que apresentou queixa ao Ministério Público por “crime contra animais de companhia” e que pedirá esclarecimentos ao ministro da Administração Interna sobre a morte destes animais na sequência do incêndio.

O PCP fez esta segunda-feira 13 perguntas ao Governo, dirigidas ao Ministério da Agricultura e Mar, a pedir explicações exaustivas sobre a situação, incluindo que conhecimento tinham as autoridades do que se passava nos dois abrigos ou ainda se, “de futuro”, o Governo irá fiscalizar estas instalações.

PCP faz 13 perguntas ao Governo sobre morte de animais em Santo Tirso

O Bloco de Esquerda, por seu turno, anunciou que quer explicações dos ministros da Administração Interna e da Agricultura no parlamento, bem como da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV).

Uma petição a pedir “justiça pela falta de prestação de auxílio aos animais do canil “Cantinho 4 patas”, em Santo Tirso”, já tinha reunido até às 9h00 desta segunda-feira mais de 115 mil assinaturas.

A associação Animal também solicitou ao Governo e ao parlamento que sejam apuradas responsabilidades no caso das mortes de animais naquele abrigo particular em Santo Tirso.

Resposta às queixas da Associação Animal é “miserável”