O construtor italiano Ducati, que pertence ao Grupo Volkswagen, oferece uma gama muito completa de motos. Das mais desportivas, como a Supersport e a Panigale, à Multistrada, ideal para passear e para o trail, há de tudo, passando pelas motos indicadas para “curtir” a cidade a ritmo acelerado, como as “assanhadas” Streetfighter e Monster.

Porém, atravessamos um período em que a mobilidade urbana é quem mais manda, pelo que também a Ducati se viu na necessidade de conceber bicicletas eléctricas para conviver com os seus potentes veículos de duas rodas. O fabricante italiano já comercializa em Portugal a MIG-RR, uma BTT com um motor de 250W e uma bateria com uma capacidade de 504 Wh mas, em breve, passará a oferecer o seu mais recente produto, a bicicleta eléctrica e-Scrambler.

Com uma filosofia de bicicleta urbana, a e-Scrambler tem suspensão à frente, travões de disco à frente e atrás, volante de BTT para maior agilidade e um quadro que serve tanto homens como mulheres, mesmo de saias. O sistema eléctrico é da Shimano (que também fornece a transmissão de 11 velocidades), mais precisamente o motor Steps E7000, com 250W de potência, o mesmo que equipa a MIG-RR, velocípede de que também herda a bateria.

A marca não avança com um valor concreto para a autonomia, mas será de esperar qualquer coisa em torno dos 120 km, com um nível de assistência médio.

A e-Scrambler pertence à gama de veículos da Ducati que exige algum esforço para se deslocar, em vez de apenas gasolina. Mas, por 3699€, pode ser vista como uma proposta tentadora, pelas características do modelo e pela imagem da marca.