Fabio Quartararo, Franco Morbidelli, Miguel Oliveira. A segunda sessão de treinos livres, na passada sexta-feira, voltou a colocar o português entre os pilotos mais rápidos em pista, dando continuidade a outras marcas que já tinham dado nas vistas esta temporada como o oitavo lugar no Grande Prémio de Espanha ou a quinta posição na qualificação para o Grande Prémio da Andaluzia. O Falcão surgia com outra capacidade de voar e, mesmo longe do que fizera na véspera em termos de posição, o 13.º posto em que ia sair do Grande Prémio da Rep. Checa igualou aquela que foi a sua segunda melhor qualificação, apenas superado por esse registo na Andaluzia.

Miguel Oliveira parte do 13.º lugar para o GP da República Checa de MotoGP

Antes, na terceira sessão de treinos livres, onde voltou a rodar na frente com Quartararo ou Morbidelli, Oliveira tinha sofrido uma queda sem consequências a menos de dois minutos do final, o que impediu que se recolocasse entre as posições da frente. Seguiu-se o 13.º lugar na grelha. “No geral, foi um dia positivo. Começámos com altas expectativas esta manhã mas sofri uma queda na minha volta rápida, que me poderia ter dado um bom tempo e dentro dos dez mais rápidos. Dei tudo mas não foi o suficiente, está tudo muito equilibrado. No entanto, estou bastante confiante para a corrida de amanhã [domingo]. Trabalhámos bem, pelo que deveremos estar tranquilos e focados. Acredito que posso acabar numa boa posição”, comentou na véspera da corrida.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.