Já não é surpresa ver Donald Trump abandonar uma conferência de imprensa depois de ser confrontado por jornalistas com declarações falsas por si proferidas. No sábado, voltou a fazê-lo, com uma mentira que, segundo a CNN, já terá dito mais de 150 vezes. Trump alegava, no seu clube de golfe, em Nova Jersey, que tinha sido o responsável pela aprovação do programa “Veterans Choice” — que permite aos veteranos de guerra um acesso mais fácil a cuidados de saúde. Só que a lei foi assinada em 2014, quando era Barack Obama o presidente dos EUA.

“Os nosso veteranos são muito especiais. Assinámos o ‘Veterans Choice’. Eles tentaram que fosse aprovada durante décadas e décadas e décadas, nenhum presidente foi capaz de o fazer e nós conseguimos”, disse Trump, numa conferência de imprensa, no sábado.

O presidente dos EUA foi depois questionado por uma jornalista sobre por que razão continua a “repetir que foi o autor” da lei, o que é uma “declaração falsa”. Trump ainda tentou dar a palavra a outra repórter, mas a jornalista insistiu na questão. O magnata apenas respondeu: “Ok, muito obrigado”. E saiu da sala.

Esta não é a primeira vez que Donald Trump diz ser o responsável pela “Veterans Choice”. Aliás, segundo a CNN, a mentira já foi dita pelo presidente dos EUA mais de 150 vezes. Numa dessas situações fê-lo para criticar o ex-candidato presidencial e veterano de guerra John McCain, acusando-o de nunca ter conseguido aprovar um programa semelhante. Só que Trump desconhecia que a lei, aprovada em 2014 por Obama, partiu, precisamente, de uma iniciativa bipartidária de John McCain com Bernie Sanders.

A Veterans Choice permite que os veteranos elegíveis tenham acesso a cuidados de saúde fora do seu subsistema de saúde. Em 2018, Trump assinou uma lei que permitiu a expansão do programa, que modificou e expandiu os critérios de elegibilidade.

Ainda recentemente, o presidente dos EUA já tinha abandonado uma conferência de imprensa, também por não ter gostado da pergunta de uma jornalista. Em causa estava um vídeo em que um grupo de médicos faziam declarações sobre o novo coronavírus, nomeadamente que as máscaras não são necessárias para travar a doença. O vídeo foi publicado por Trump, mas o Twitter acabou por retirá-lo alegando que divulgava informações falsas.

Trump abandona conferência de imprensa após pergunta sobre vídeo “falso” publicado no Twitter