A divulgação de oito novos casos positivos elevou este sábado para 62 o número de infetados do surto de Covid-19 no concelho de Mora, disse este sábado à Agência Lusa o presidente da Câmara Municipal, Luís Simão.

De acordo com o autarca, a maior subida registada nos números do concelho alentejano desde o dia 13 de agosto, data em que se registaram 15 novos casos relativamente ao dia anterior, explica-se pela inclusão de pelo menos dois casos cuja integração na cadeia epidemiológica “estava em investigação, mas só foram acrescentados ontem [sexta-feira]”.

Por outro lado, o autarca destacou que os testes de rastreio à doença provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 realizados nos lares do concelho “deram todos negativo”, incluindo os da instituição de Brotas, cujos resultados ainda eram desconhecidos na sexta-feira.

No Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), permanecem internados cinco doentes, quatro deles nos cuidados intensivos e um em enfermaria, num quadro que “não sofreu alterações” nas últimas 24 horas, de acordo com Luís Simão. Fonte do HESE revelou à Lusa que os quatro doentes internados na Unidade de Cuidados Intensivos Covid, três homens e uma mulher, têm idades entre os 64 e os 69 anos, enquanto o doente hospitalizado em enfermaria, um homem, tem 89 anos.

A testagem aos contactos relacionados com a cadeia de contágios “vai continuar nos próximos dias”, confirmou, ainda, o autarca que permanece em casa, desde quinta-feira e “durante alguns dias”, por recomendação da Autoridade de Saúde, na sequência dos testes aos trabalhadores do município, esta semana, que revelaram dois infetados.

Este surto surgiu no dia 9 deste mês, quando foram confirmados os primeiros três casos positivos na comunidade, número que tem vindo a subir, todos os dias, à medida que vão sendo testados os contactos de pessoas infetadas. A câmara ativou o Plano Municipal de Emergência e fechou, no início da semana passada, os serviços de atendimento ao público e outros equipamentos, como a Oficina da Criança, a Casa da Cultura, o Centro de Atividades de Tempos Livres e instalações desportivas.

Entretanto, o Ministério Público (MP) instaurou um inquérito sobre o surto de covid-19 na vila de Mora, sobre o qual a Procuradoria-Geral da República (PGR) disse à Lusa que “não deixarão de ser investigados todos os factos que chegarem ao conhecimento do Ministério Público e que sejam suscetíveis de integrarem a prática de crime”. Segundo a PGR, o inquérito instaurado tem por objeto “uma situação concreta”, que não especifica, relacionada com o surto em Mora.

O presidente da Câmara de Mora, Luís Simão, disse à Lusa desconhecer a instauração do inquérito por parte do Ministério Público ao surto de Covid-19 nesta vila do distrito de Évora, mas exortou ao apuramento de responsabilidades. “Se abriu [um inquérito] e se houver alguém que se tenha comportado menos bem, que seja responsabilizado e sofra as consequências de um ato que não foi o mais adequado no momento em que vivemos. Se assim foi, que se apurem responsabilidades”, afirmou Luís Simão.