Um prédio de habitação em Campo de Ourique, Lisboa, ficou sem condições de habitabilidade para os 11 moradores após o fogo que deflagrou esta segunda-feira na cobertura, disse à Lusa fonte dos Sapadores Bombeiros de Lisboa.

O edifício não tem condições de habitabilidade por agora e ficou à guarda da PSP, que vai fazer vistorias para determinar as causas do incêndio”, explicou o comandante do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, Tiago Lopes.

A mesma fonte acrescentou que os trabalhos dos bombeiros já terminaram e que ninguém se encontra nas habitações por agora.

Amanhã [terça-feira] durante o dia as autoridades competentes irão fazer nova vistoria e verificar se o que determinamos hoje está correto ou não”, disse ainda.

O edifício onde se deu o incêndio tem 10 fogos, mas só sete estavam habitados, num total de 11 pessoas.

Tiago Lopes tinha adiantado à agência Lusa que os moradores foram contactados pelas entidades responsáveis e que até àquele momento nenhum tinha necessidade de realojamento, caso fosse necessário.

O incêndio, que deflagrou pelas 17h40, foi combatido por mais de meia centena de operacionais, ficou controlado pelas 18h30 e foi considerado em fase de resolução pelas 20h.

O comandante do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa tinha destacado ainda a ação “extremamente rápida” de combate ao incêndio, com o apoio dos Bombeiros Voluntários de Campo de Ourique.

Questionado sobre a origem do incêndio, o comandante do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa disse que ainda não há essa informação, destacando a ação “extremamente rápida” de combate ao incêndio, com o apoio dos Bombeiros Voluntários de Campo de Ourique.

Sobre o corte da rua Tenente Ferreira Durão, o comandante dos bombeiros explicou que vai continuar interditada ao trânsito “enquanto não houver segurança por parte dos operacionais para trabalharem à vontade”.

Notícia atualizada às 22h33 com a informação de que o prédio não tem condições de habitabilidade.