Cerca de sete em cada 10 brasileiros (69,8% ou 151 milhões de pessoas) procurou atendimento no serviço público de saúde do país em 2019, informou esta sexta-feira uma pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O dado diz respeito à primeira fase de um levantamento chamado Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizado pelo IBGE em parceria com o Ministério da Saúde brasileiro, que também mostrou que apenas 28,5% da população (59,7 milhões de pessoas) tinham algum plano privado de saúde, médico ou odontológico.

Das 13,7 milhões de pessoas que ficaram internadas em hospitais por pelo menos 24 horas nos 12 meses que antecederam a consulta do IBGE, 64,6% (ou 8,9 milhões) tiveram esse atendimento por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

No mesmo período, a proporção de internamento em hospitais do SUS foi maior entre os homens (65,4%), as pessoas entre 18 e 29 anos (72%) e pessoas negras (75,9%) e pardas (73,6%).

Também em 2019 cerca de 76,2% dos brasileiros (159,6 milhões de pessoas) informaram que haviam consultado um médico nos 12 meses anteriores à entrevista realizada pelo IBGE. A proporção de mulheres (82,3%) que consultou um médico foi muito superior à dos homens (69,4%).

Outros grupos que lideraram a sondagem foram as pessoas brancas (79,4%), pessoas com 60 anos ou mais (86,9%) e aquelas com nível superior completo (84,6%).

Em relação aos tratamentos odontológicos, a pesquisa mostrou que menos da metade da população brasileira (49,4%) tinha consultado um dentista nos últimos 12 meses anteriores ao levantamento.

A coleta dos dados para a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) foi efetuada entre 26 de agosto de 2019 e 13 de março de 2020. As informações são usadas para subsidiar a elaboração de políticas públicas na área da saúde.