Um idoso de 90 anos, que fazia hemodiálise e que morreu na semana passada, terá estado na origem do surto de covid-19 num lar ilegal de Gondomar, disse à Lusa o presidente da câmara, Marco Martins. Vinte e um utentes e oito funcionários do lar Paródias e Ternuras, em Gondomar, testaram positivo à covid-19 depois de na sexta-feira à noite ter sido detetado o surto, havendo mais nove utentes que testaram negativo, informou o autarca.

“A origem terá sido um idoso do lar que fazia hemodiálise e faleceu na semana passada”, disse Marco Martins, dando conta que a autarquia foi “informada de manhã do surto e do resultado dos testes a que todos foram submetidos na segunda-feira”. Marco Martins informou ter reunido durante a tarde com “o Serviço Municipal de Proteção Civil, direção do lar, Segurança Social e com a delegação de saúde de Gondomar para definir estratégias e procedimentos”.

A direção do lar deu-nos nota de que já tinha feito a separação física dos positivos e dos negativos, tendo a câmara agilizado contactos entre o Centro de Emprego e o lar para tentar substituir o mais depressa possível os funcionários infetados”, informou.

E prosseguiu: “A direção do lar indicou-nos já ter duas pessoas prontas para ir trabalhar e que foram fazer, entretanto, o teste da covid-19″, pelo que as próximas horas e quarta-feira de manhã, em termos de cuidadores, estão asseguradas”. A delegação de saúde de Gondomar, disse o autarca, “já começou a contactar as pessoas com quem os idosos que testaram positivo estiveram em contacto, e que residirão, pelo menos a maioria, em Valbom, para os colocar em isolamento, evitando o foco de propagação”.

Marco Martins disse não ter recebido indicação da direção do lar de “sobrelotação”, mas a garantia de “que fez a separação dos positivos dos negativos”.

A Lusa, no local, tentou uma reação dos proprietários do lar, mas não foi possível.