O primeiro-ministro António Costa afirmou na conferência da Confederação do Turismo de Portugal (CTP) que pretende acelerar a concretização do projeto do aeroporto do Montijo. “Não será uma pandemia a alterar um projeto considerado necessário há mais de 50 anos”, considerou o líder governamental, defendendo que “o turismo pós-Covid vai ser seguramente um bom setor de atividade num país que é o melhor destino do mundo há três anos consecutivos”.

António Costa afirmou que o governo tem estado em articulação com a ANA e com a Câmara Municipal da Moita “para que nada justifique atrasos no calendário estabelecido e podermos ter um novo aeroporto em Lisboa para o que será a procura pós-covid”, indicou na conferência que decorre esta segunda-feira na Fundação Calouste Gulbenkian; e onde se debateu o “turismo pós-Covid-19”.

O anúncio do primeiro-ministro vai ao encontro da opinião de Francisco Calheiros, presidente da CTP, que também sublinhou que “precisamos de imediato de começar a trabalhar na construção do aeroporto do Montijo, a margem para apoiar este projeto já acabou”.

Governo prepara flexibilização da medida de apoio à retoma para o turismo

O governo está também a preparar uma flexibilização da medida de apoio à retoma, que veio substituir o layoff simplificado, bem como uma iniciativa que permitirá reaver parte do IVA dos serviços de turismo e restauração, adiantou o primeiro-ministro. António Costa referiu que, tendo em conta a evolução da economia, está a “preparar a flexibilização da medida de apoio à retoma, sucedâneo do layoff simplificado”, sem adiantar mais detalhes.

O layoff simplificado foi substituído em agosto pela medida de apoio à retoma progressiva e pelo incentivo financeiro extraordinário à normalização da atividade empresarial — que contempla um apoio equivalente a dois salários mínimos por trabalhador pago ao longo de seis meses ou a um salário mínimo pago de uma vez.