Foi um primeiro teste negativo que levou Manuel Heitor a decidir estar presente no Conselho de Ministros de quinta-feira passada. Na véspera, “por precaução”, sabendo ter estado em contacto com uma pessoa infetada, o ministro do Ensino Superior não se deslocou à Assembleia da República: a sua audição na comissão parlamentar de Educação foi feita à distância, depois de avisar os deputados que se tinha encontrado com um caso positivo, durante uma visita a Évora, na sexta-feira, 2 de outubro. Acabaria por fazer um segundo teste, vários dias depois, por ter estado com outra pessoa infetada, a comissária europeia Mariya Gabriel. Esse teste deu positivo no domingo.

Depois da sua passagem pelo Alentejo, mas antes de saber que se tinha cruzado com o primeiro infetado, Manuel Heitor esteve com o Presidente da República, no domingo, 4 de outubro. Foi exatamente uma semana depois, no domingo 11 de outubro, que o segundo teste, já positivo, chegou às mãos do ministro. Pelo caminho, Manuel Heitor já tinha participado no Conselho de Ministros e retomado a sua agenda habitual, tendo feito várias intervenções sem o uso de máscara.

Contactado esta segunda-feira, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior garantiu que Manuel Heitor se mantém sem sintomas e que até à data mais nenhum elemento do seu gabinete testou positivo, estando ainda alguns deles a aguardar os resultados laboratoriais. O secretário de Estado Sobrinho Teixeira já recebeu o teste negativo.

[Um tweet do Ministério da Economia mostra Manuel Heitor numa sessão com Pedro Siza Vieira e com Marcelo Rebelo de Sousa]

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Deputados à distância, ministros não

O gabinete de Manuel Heitor confirmou ao Observador que o ministro recebeu o seu primeiro teste negativo na terça-feira passada, 6 de outubro, depois de saber do contacto com o primeiro infetado e na véspera de se deslocar à Assembleia da República, a requerimento do CDS e do PSD para falar sobre alojamento estudantil. No entanto, uma vez que o pedido do ministro para ser ouvido por videoconferência, precisamente por causa desse contacto, já tinha dado entrada no Parlamento, o seu gabinete optou por manter a audição à distância. Junto dos deputados, na comissão, estiveram o chefe de gabinete do ministro e o secretário de estado Sobrinho Teixeira. O primeiro encontra-se agora em quarentena profilática, tal como a restante equipa do ministro.

Nesse dia, e como o Observador noticiou então, a audição começou exatamente com a leitura do comunicado do gabinete do ministro pelo presidente da comissão, Firmino Marques (PSD). A justificação para a audição à distância era a de que Manuel Heitor tinha tido um encontro, na Universidade de Évora, com uma pessoa infetada. Segundo a sua agenda, foi no dia 2 de outubro que o ministro participou numa série de eventos naquela universidade do Alentejo. Num deles, a apresentação da empresa Elio Tecnologia, esteve também presente Maria do Céu Antunes, ministra da Agricultura.

Depois de receber o primeiro teste negativo, Manuel Heitor ainda passou a quarta-feira em casa. No dia seguinte, data da reunião do Conselho de Ministros, retomou a sua agenda habitual. Juntou-se ao resto da equipa ministerial de António Costa e, durante o encontro do Executivo, ficou ladeado por Nelson de Souza (ministro do Planeamento) e Ana Mendes Godinho (ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social) — os dois membros do Governo encontram-se agora em isolamento, apesar de terem testado negativo para a infeção pelo novo coronavírus.

Manuel Heitor infetado, António Costa testa negativo e dois ministros ficam em isolamento

Ao final desse mesmo dia, sem máscara, o ministro do Ensino Superior encerrou a sessão comemorativa dos 40 anos do INESC — Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Investigação e Desenvolvimento em Lisboa, que teve lugar na Fundação Calouste Gulbenkian.

No fim de semana, a agenda de Manuel Heitor continuou ativa. O ministro viajou até Óbidos para participar em mais uma sessão de apresentação da “Coleção Ciência & Conhecimento” — inserida no âmbito das comemorações dos 25 anos da criação do Ministério da Ciência e Tecnologia em Portugal (1995-2020). Desta vez, a conversa foi em torno do quarto de oito livros reeditados, por serem relevantes para a promoção da cultura científica: “Da educação”, de Almeida Garrett.

Manuel Heitor não esteve sozinho. Também o secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Carlos Miguel, representou o Governo em Óbidos.

O volte-face que levou Manuel Heitor a ser testado pela segunda vez em poucos dias esteve ligado a uma notícia que recebeu nesse sábado: a comissária europeia da Inovação, a búlgara Mariya Gabriel, anunciou estar infetada com o vírus da Covid-19. Apesar de a reunião com o ministro português ter acontecido a 29 de setembro, não tendo voltado a haver nenhum encontro presencial entre os dois, Heitor repetiu o teste no dia seguinte a receber a notícia.

No domingo, o ministro receberia o seu segundo teste ao SARS-CoV-2. Ao contrário do primeiro, o resultado era positivo, apesar de o ministro se manter assintomático.

Desde segunda-feira passada que Mariya Gabriel está em isolamento apesar de o seu primeiro teste, de 5 de outubro, ter dado negativo. Manuel Heitor é o primeiro caso no Governo desde que o início da pandemia começou. Todos os outros membros do Executivo testaram negativo, inclusivamente o primeiro-ministro.

Como foram os dias de Manuel Heitor

  • Terça-feira, 29 de setembro
    O ministro encontra-se com Mariya Gabriel, comissária europeia, que depois de um primeiro teste negativo, a 5 de outubro, anunciou a 10 de outubro estar infetada. Não se voltaram a encontrar presencialmente.
  • Sexta-feira, 2 de outubro
    Manuel Heitor desloca-se à Universidade de Évora, onde se encontrou com uma pessoa infetada, segundo nota do seu gabinete divulgada mais tarde, a 7 de outubro.
    Maria do Céu Antunes, ministra da Agricultura, partilha um dos momentos da agenda com o Manuel Heitor: a apresentação da empresa Elio Tecnologia.
  • Domingo, 4 de outubro
    Participa no encontro “Construir o Futuro de Portugal” no antigo Picadeiro Real do Museu Nacional dos Coches em Lisboa. Estiveram presentes, para além de Manuel Heitor, Pedro Siza Vieira, ministro da Economia, e o Presidente da República.
  • Segunda-feira, 5 de outubro
    Primeiro teste de Mariya Gabriel dá negativo.
  • Terça-feira, 6 de outubro
    Ministro recebe, ao final do dia, o primeiro teste negativo. Mantém a decisão de ser ouvido via Skype na comissão parlamentar de Educação. Passaram-se 4 dias desde o encontro em Évora e 7 dias desde que esteve com a comissária europeia.
  • Quarta-feira, 7 de outubro
    Audição na Comissão de Educação. Ministro participa por videoconferência e mantém-se em casa durante o resto do dia.
  • Quinta-feira, 8 de outubro
    Manuel Heitor retoma a sua agenda habitual e participa no Conselho de Ministros.
    Ao final da tarde encerra a sessão comemorativa dos 40 anos do INESC, Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Investigação e Desenvolvimento em Lisboa, na Fundação Calouste Gulbenkian.
  • Sábado, 10 de outubro
    O ministro esteve num evento em Óbidos, na apresentação da “Coleção Ciência & Conhecimento”, na qual também participou o secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Carlos Miguel. Recebe a notícia de que a comissária está infetada e avança para o segundo teste.
  • Domingo, 11 de outubro
    Ministro Manuel Heitor recebe segundo teste, agora positivo.