439kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

As 17 coisas que mudaram em Portugal e no mundo desde que Vieira entrou na presidência do Benfica (e quatro que ainda vão acontecer)

Este artigo tem mais de 1 ano

Um ex-primeiro-ministro detido, um Papa que renunciou ao cargo e o governo mais curto da democracia. O que o país e o mundo já viveram desde que Vieira se tornou presidente do Benfica. E o que aí vem.

i

Getty Images

Getty Images

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

No ano em que Luís Filipe Vieira entrou pela primeira vez na presidência do Sport Lisboa e Benfica, o mundo combatia uma epidemia provocada por um coronavírus semelhante ao que esta quarta-feira obrigou os sócios do clube a votar de máscara posta. Estávamos em 2003. Em dezassete anos depois, Vieira, que conquistou esta noite mais um mandato, liderou o Benfica num mundo que já teve três papas e num país que já teve oito governos.

Em 2004, Portugal foi pela primeira vez o anfitrião do Campeonato Europeu de Futebol. Foi também a primeira vez desde a assinatura do Acordo de Schengen (que determinou a livre circulação de cidadãos entre os países signatários) que Portugal fechou temporariamente as fronteiras terrestres para controlar as entradas no país. O Comité Executivo da UEFA afirmou que “nunca até à data, um campeonato europeu foi tão bem preparado e tão bem organizado”: “Difícil é encontrar pontos em que a organização não tenha estado muito bem”, elogiou Lars-Christer Olsson, director-executivo da UEFA à época.

Luis Figo e Theodoros Zagorakis batalham pela bola na final do Euro 2004

Corbis via Getty Images

A 13 de fevereiro 2005, morreu em Coimbra a irmã Maria Lúcia de Jesus e do Coração Imaculado, a última dos três pastorinhos de Fátima. Juntamente com Santa Jacinta e São Francisco Marto, afirmou ter assistido a uma série de aparições de Virgem Maria no lugar da Cova da Iria, em Fátima. De acordo com os relatos da Igreja Católica, terá sido a única dos três pastorinhos a conseguir comunicar por fala com a Virgem, tornando-se, por isso, a porta-voz do Segredo de Fátima. Lúcia foi a única dos pastorinhos que viveu até à idade adulta: Francisco e Jacinta morreram de gripe pneumónica.

Em 2006, o governo de José Sócrates apresenta o Simplex, abreviação para “Programa de Simplificação Administrativa e Legislativa”, que tinha como objetivo “combater a burocracia, modernizar a administração pública, facilitar a vida das pessoas e dar às empresas a rapidez de que elas necessitam”. O programa anulou a necessidade da renovação anual de matricula dos alunos nos ensinos básico e secundário, criou o Portal das Finanças e o Portal dos Cidadãos, permitiu a leitura online do Diário da República e possibilitou os pedidos de reformas no site da Segurança Social. Catorze anos depois, chegaria o programa Simplex 20-21.

A 11 de fevereiro de 2007, a realização do aborto foi despenalizada em Portugal. O país foi chamado às urnas pela terceira vez para a realização de um referendo, duas das quais precisamente sobre este tema. Questionados sobre se “concordam com a despenalização da interrupção voluntária da gravidez, se realizada, por opção da mulher, nas primeiras dez semanas, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado”, 59,25% dos eleitores disseram que sim. A 17 de abril é publicada a Lei nº 16/2007, que estabelece a “exclusão da ilicitude nos casos de interrupção voluntária da gravidez”.

Em 2008, o Banco Português de Negócios foi nacionalizado após o envolvimento em crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e tráfico de influências. Em fevereiro, Abdool Karim Vakil, presidente interino, levantou dúvidas sobre a gestão do banco que, nesse mesmo mês, foi investigado no âmbito da Operação Furacão. Em junho, Miguel Cadilhe, antigo ministro das Finanças, é escolhido para a presidência e denuncia vários crimes financeiros alegadamente cometidos por altos cargos. Cavaco Silva (que era Presidente da República à época), Dias Loureiro e Duarte Lima vêm-se envolvidos no caso.

A 2 de julho de 2009, Manuel Pinho, ministro da Economia demitiu-se após ter feito um gesto peculiar em pleno Parlamento. Durante o debate sobre o Estado da Nação, o ministro dirigiu-se a Bernardino Soares e, imitando dois chifres com os dedos, gritou-lhe: “Estás tramado”. O momento ocorreu quando Francisco Louçã e José Sócrates discutiam sobre os trabalhadores das Minas de Aljustrel. Paralelamente, Bernardino Soares lembrava a Manuel Pinho que o ministro tinha ido até àquela cidade para entregar um cheque de 5 mil euros a um clube de futebol local. O ministro reuniu com o ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva, e com o ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira, logo depois do debate.

O gesto que levou Manuel Pinho a demitir-se

AFP via Getty Images

A 8 de janeiro 2010, é aprovado em Portugal o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A Assembleia da República aprovou assim o casamento entre homossexuais com 126 votos a favor, 97 contra e 7 abstenções. Após ter sido aprovada na especialidade, aprovada pelo Tribunal Constitucional e promulgada pelo Presidente da República, a lei entrou em vigor a 5 de junho daquele ano. Portugal tornou-se o oitavo país do mundo a aceitar casamentos civis entre pessoas do mesmo sexo, mas só dali a seis anos aceitaria também a adoção de crianças dos casais homossexuais.

A 6 de abril 2011, o primeiro-ministro José Sócrates anunciou aos portugueses que iria pedir assistência financeira externa ao Fundo Monetário Internacional (FMI), abrindo as portas a um longo período de austeridade em Portugal. Menos de um mês depois, o líder governamental, ao lado do ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, comunica que se havia chegado a um acordo com troika. Poucos dias depois, o Eurogrupo aprovou o programa de assistência financeira ao país. Era a terceira vez que o FMI intervinha em Portugal — primeira foi em 1977 e a segunda em 1983.

A 15 de setembro 2012, realizou-se a maior onda de manifestações desde o 1º de Maio de 1974 em Portugal. Uma iniciativa implementada nas redes sociais por 30 pessoas resultou em protestos por todo o país que levaram um milhão de pessoas contra as medidas de austeridade impostas pelo governo após a entrada da troika, metade das quais em Lisboa. As manifestações foram batizadas de “Que se lixe a troika! Queremos as nossas vidas!” e partiu de um manifesto que dizia: ” Depois de mais um ano de austeridade sob intervenção externa, as nossas perspetivas, as perspetivas da maioria das pessoas que vivem em Portugal, são cada vez piores. A austeridade que nos impõem e que nos destrói a dignidade e a vida não funciona e destrói a democracia”.

A manifestação "Que se lixe a troika!" no Terreiro do Paço, em Lisboa

AFP via Getty Images

A 2 de julho de 2013, o papa Bento XVI renunciou ao cargo que ocupa à frente da Igreja Católica desde abril de 2005: “Cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idóneas para exercer adequadamente o ministério petrino”. Foi o primeiro papa a abdicar do posto desde Gregório XII, em 1415. A 28 de fevereiro de 2013, dia em que Bento XVI deixou oficialmente o cargo, começou a busca por um substituto. A 13 de março, foi escolhido o atual papa: Francisco, o terceiro líder da Igreja desde que Vieira chegou à presidência do Benfica (ainda com João Paulo II no cargo).

A 22 de novembro 2014, José Sócrates tornou-se o primeiro ex-primeiro-ministro português a ser detido no âmbito de um interrogatório judicial. Sócrates, um benfiquista, foi detido numa sexta-feira à noite no Aeroporto de Lisboa, à chegada de Paris, por suspeitas de crimes de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção. A detenção ocorreu um dia antes de António Costa, o atual primeiro-ministro, ser eleito secretário-geral do Partido Socialista, depois de ter vencido as eleições primárias para candidato a primeiro-ministro. José Sócrates veio a ser libertado em outubro de 2015.

Em 2015, Portugal registou o mais curto governo nas quatro décadas de história da democracia constitucional no país. O XX Governo Constitucional de Portugal ganhou com maioria relativa as eleições legislativas de 4 de outubro de 2015 com a coligação Portugal à Frente, entre o PSD de Passos Coelho e o CDS de Paulo Portas. No entanto, devido a uma moção de rejeição, foi demitido do Parlamento onze dias depois de tomar posse e exonerado após 16 dias. A 26 de novembro de 2015, Portugal passa a ser liderado pela XXI Governo Constitucional de Portugal, liderado pelo PS de António Costa na sequência de um acordo com Bloco de Esquerda, PCP, PEV e PAN — a geringonça.

A 10 de julho 2016, a seleção portuguesa de futebol conquistou pela primeira vez o Campeonato Europeu de Futebol. Portugal defrontou a seleção francesa no Stade de France, em Paris, na final do Euro 2016. Depois de Cristiano Ronaldo ter saído lesionado nos primeiros momentos da partida, Portugal veio a vencer com um golo de Éder aos 109 minutos de jogo. Pepe foi considerado o melhor futebolista em campo. No dia seguinte, milhares de adeptos portugueses juntaram-se em Lisboa para receber a seleção vencedora. Éder celebrou com uma frase que ficou para a história: “Hoje é feriado, c…!”.

Cristiano Ronald e Éder celebram a conquista do Euro 2016

Getty Images

A 27 de junho de 2017, os Paióis Nacionais de Tancos foram assaltados e centenas de materiais de guerra do Exército Português desapareceram. O embaraço para as forças armadas portugueses adensou-se ainda mais quando se apurou que a Polícia Judiciária Militar tinha encenado a recuperação de parte deste material com os próprios assaltantes. O caso levou à demissão de José Azeredo Lopes, o então ministro da Defesa; e do General Rovisco Duarte, Chefe do Estado-Maior do Exército. Está neste momento em fase de julgamento com 23 arguidos — nove por causa do furto em si e os restantes (incluindo Azeredo Lopes) pela encenação.

A 12 de maio 2018, Portugal recebe pela primeira vez o Festival Eurovisão da Canção. A organização do concurso coube a Portugal depois de, um ano antes, Salvador Sobral ter levado o país à vitória com “Amar pelos Dois”, que conquistou a maior pontuação da história do festival. Na edição de 2018, no entanto, o país ficou longe da glória do ano anterior: “O Jardim”, de Cláudia Pascoal e Isaura, ficou em antepenúltimo lugar — acima apenas de “Tu Canción”, de Espanha, e de “Storm”, do Reino Unido.

Em 2019, foi declarada pela primeira vez em Portugal a situação de crise energética por causa da greve por tempo indeterminado dos motoristas de matérias perigosas, que exigiam melhores salários, mais proteção contratual e melhores condições de trabalho. O governo estabeleceu serviços mínimos para assegurar o funcionamento do país mas, perante o incumprimento, aprovou a requisição civil dos grevistas. A 18 de abril, dia em que greve terminou, a percentagem já era de 80%. Os aeroportos de Lisboa e de Faro foram obrigados a recorrer às reservas de emergência e vários transportes públicos foram suprimidos.

A 18 de março de 2020, Portugal entrou em estado de emergência pela primeira vez na atual Constituição. O país esteve durante dez dias sob estado de sítio por causa da tentativa de golpe a 25 de novembro de 1975. No ano seguinte, dois artigos da Constituição Portuguesa previam a existência de dois estados de exceção: emergência e sítio, que podiam ser decretados pelo Presidente da República com o apoio da Assembleia da República. Nunca tinha sido necessária até à entrada do novo coronavírus em Portugal.

Em Portugal, o estado de emergência foi imposto a 18 de março

AFP via Getty Images

Com mais quatro anos de mandato pela frente, Luís Filipe Vieira ainda viverá muita história como presidente do Benfica:

Em 2021, espera-se que fique disponível uma vacina que permita evitar as infeções pelo novo coronavírus, que já provocou quase 45 milhões de infetados no mundo e vitimizou perto de 1,2 milhões deles no mundo. Há várias candidatas, mas a mais entusiasmante é a que está a ser desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford. A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) confirmou que Portugal vai receber 6,9 milhões destas vacinas. O primeiro lote, com 690 mil vacinas, deve chegar já em dezembro.

Em 2022, a rainha Isabel II vai celebrar o jubileu de platina pelos 70 anos no trono britânico — algo que nenhum outro monarca do Reino Unido conquistou no passado. Em toda a história do mundo, apenas há registo de 15 monarcas que tenham passado por tal marco, mas nenhum deles é mulher. Por essa altura, Isabel II estará a dois meses de celebrar 96 anos.

Em 2023, as amostras recolhidas no asteroide Bennu pela NASA a 20 de outubro vão chegar à Terra, cumprindo a primeira vez que a agência espacial norte-americana consegue trazer para casa algumas gramas de pó asteroidal. A bordo estão respostas para perguntas tão complexas como a história do Sistema Solar, a origem da vida na Terra ou o futuro da mineração de asteroides.

Em 2024, quando o Benfica estiver a passar novamente por eleições e Luís Filipe Vieira a sair da presidência em definitivo, o programa Artemis, um produto da parceria entre a NASA, outras agências espaciais pelo mundo e uma série de empresas privadas, estará a colocar a humanidade na Lua pela primeira vez desde os anos 70 — desta vez com uma astronauta do sexo feminino na tripulação. A viagem custará 35 mil milhões de dólares, um valor que ainda terá de ser aprovado pelo Congresso norte-americano, mas que serve de investimento a um projeto ainda maior: uma missão tripulada a Marte.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.