Kamala Harris já fez história: pela primeira vez, uma mulher vai para a Casa Branca ocupar um dos dois cargos mais elevados da política norte-americana. No discurso de 10 minutos que fez esta noite em Wilmington, Delaware, antes da intervenção de vitória de Joe Biden, a vice-presidente-eleita dos Estados Unidos vincou a importância da sua eleição para o reforço do acesso das mulheres ao poder político e dirigiu-se a “todas as meninas” que a estavam a ver na televisão.

“Este é um país de oportunidades”, assegurou-lhes Kamala Harris. “Posso ser a primeira mulher neste cargo, mas não serei a última.

Harris subiu ao palco vestida de branco (cor que se tornou no símbolo do movimento sufragista) exatamente 100 anos depois da entrada em vigor da 19.ª emenda da Constituição norte-americana, que assegurou o direito das mulheres a votarem, e lembrou esse momento evocando a memória da sua mãe, Shyamala Gopalan Harris.

Discurso de vitória de Joe Biden: “Este é o tempo de curar a América”

“Quando ela chegou cá, vinda da Índia, talvez ela não imaginasse propriamente este momento”, disse a senadora, agora eleita para o cargo de vice-presidente. “Mas ela acreditava profundamente numa América em que um momento como este seria possível.

“Penso nela e nas gerações de mulheres — negras, asiáticas, brancas, latinas, índias — que ao longo da história da nação abriram o caminho para o momento desta noite”, acrescentou, elogiando a “audácia” de Joe Biden ao “quebrar uma das barreiras mais substanciais do nosso país e escolher uma mulher como sua vice-presidente”.

Kamala Harris referiu-se também aos problemas enfrentados pelos Estados Unidos nos últimos meses, particularmente a pandemia e a agitação social provocada pela violência policial contra as minorias étnicas e raciais, para apresentar Joe Biden como capaz de curar o país após quatro anos de divisão e polarização, acentuadas por Trump.

Kamala, a vice de Biden que queria que Biden fosse vice dela — a primeira mulher e afro-americana no cargo

“Vocês votaram e deixaram uma mensagem clara: escolheram a esperança, a unidade, a decência, a ciência e a verdade“, disse Harris. “Escolheram Joe Biden como o próximo Presidente dos Estados Unidos.”

O apelo à união num país profundamente polarizado foi a mensagem central de Kamala Harris, que reiterou a todos os espectadores do discurso: “Não importa em quem votaram”. “Não vai ser fácil, mas a América está preparada, e eu e o Joe também“, acrescentou.

Tal como faria depois Joe Biden, Kamala Harris nunca se referiu diretamente a Donald Trump (que continua sem reconhecer a vitória do Partido Democrata). Porém, no arranque do discurso, citou o congressista John Lewis, que morreu este ano, para deixar clara a relevância da troca de poder na Casa Branca este ano.

“O congressista John Lewis, antes de morrer, escreveu que a democracia não é um estado, mas um ato. A democracia da América não está garantida, é tão forte como a nossa vontade de lutar por ela, de a guardar e de não a tomar por garantida”, disse Harris.