O surto de Covid-19 que decorre desde 29 de outubro na Estrutura Residencial Para Pessoas Idosas (ERPI) do Pego, no concelho de Abrantes (Santarém), causou a morte a três utentes, disse esta quarta-feira à Lusa fonte das autoridades de saúde.

“A evolução do surto é que existem três óbitos no Lar, em três utentes”, disse à agência Lusa a delegada de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo, “uma das quais a primeira pessoa diagnosticada” neste surto com o vírus SARS-CoV-2 e que infetou, até esta quarta-feira, um total de 80 pessoas, entre utentes e funcionários da ERPI do Centro Social do Pego.

Maria dos Anjos Esperança disse que os óbitos reportam-se a pessoas com idade avançada, com outras patologias, nomeadamente respiratórias e cardíacas e que, “com esta doença da Covid-19, as comorbilidades que as pessoas tiverem podem contribuir para desfechos mais fatais”.

A ERPI tem 65 utentes e 71 funcionários. Além dos 80 casos confirmados na ERPI em Pego, afetando 60 utentes e 20 profissionais, há a registar mais um caso positivo numa outra valência do Centro Social do Pego, avançou a responsável.

“No centro de dia do Centro Social do Pego foram testados todos os utentes e funcionários e um profissional acusou positivo”, disse esta quarta-feira a delegada de saúde, tendo referido que as autoridades vão “proceder à desinfeção do centro de dia para que possa depois reabrir”.

Maria dos Anjos Esperança disse ainda à Lusa que um outro surto foi identificado no concelho de Abrantes, numa casa de acolhimento em Carvalhal, e que afeta 18 pessoas, entre utentes, profissionais e proprietários do espaço.