A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) elogiou esta quarta-feira o plano da Câmara Municipal de Lisboa para apoiar o comércio e restauração, perante o impacto da pandemia, apelando à adoção de medidas idênticas noutros municípios.

A AHRESP elogia esta decisão da autarquia de Lisboa e apela a que idênticas medidas possam ser aprovadas e implementadas no restantes municípios do território nacional, como forma de mitigar a tão difícil situação que as empresas atravessam”, lê-se no boletim diário da associação.

A Câmara de Lisboa vai lançar um programa para o comércio e restauração da cidade no valor de 20 milhões de euros, com apoios a fundo perdido entre quatro e oito mil euros, a pagar a partir de dezembro.

O programa, que foi apresentado esta quarta-feira pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina (PS), deverá abranger cerca de oito mil empresas e empresários da cidade, que representam 80% do setor em Lisboa e 100 mil empregos, e será pago em duas tranches, entre o próximo mês e março de 2021. Para se candidatarem a este apoio, as empresas e empresários devem ter registado uma quebra de faturação superior a 25% entre janeiro a setembro.

Para as empresas e empresários com um volume de negócios até 100 mil euros em 2019, o valor do apoio total será de quatro mil euros, enquanto para aqueles que tiveram um volume de negócios entre os 100 mil e os 300 mil euros o apoio total será de seis mil euros. Quando o volume de negócios tiver sido entre os 300 mil e os 500 mil euros, o apoio total será de oito mil euros.