O movimento desportivo português lamentou, esta quinta-feira, a “desconsideração” por parte das forças políticas e considerou que o setor está ao “abandono”, na sequência da proposta de lei que aprovou o Orçamento do Estado (OE) para 2021.

Em comunicado conjunto, Comité Olímpico de Portugal (COP), Comité Paralímpico de Portugal (CPP) e Confederação do Desporto de Portugal (CDP) voltaram a reclamar “uma atenção ao setor desportivo”, face à “presente crise económica e financeira” provocada pela pandemia de Covid-19.

Os três organismos apontaram “mais uma manifestação política de desconsideração e abandono para com um dos setores igualmente afetado”, após terem visto ser rejeitadas as propostas de alteração ao OE2021 e que tinham sido “subscritas por vários grupos parlamentares”.

Assim sendo, e apesar da manifesta derrota que o desporto sofreu com a ausência de aprovação das referidas propostas, permaneceremos inamovíveis na demanda intransigente pela proteção e promoção do desporto”, salientaram COP, CPP e CDP.

Após a reunião extraordinária realizada nesta quinta-feira, os três organismos “decidiram convocar uma nova cimeira das federações desportivas, para análise da situação política criada pela decisão da Assembleia da República”.

O Orçamento do Estado para 2021 (OE2021) foi aprovado esta quinta-feira, no parlamento, apenas com os votos favoráveis do PS, e com a abstenção do PCP, PEV, PAN e das duas deputadas não inscritas.

OE2021. 33 medidas e duas polémicas para perceber o que mudou na especialidade