Em atualização

A paragem competitiva na Serie A permitiu que Cristiano Ronaldo viajasse para o Dubai e marcasse presença mais uma vez na cerimónia dos Globe Soccer Awards, onde estava nomeado para Melhor Jogador do Ano e Melhor Jogador do Século, mas o atual contexto de pandemia que o mundo atravessa fez com que até essa mudança de ares gerasse críticas à conduta do português, tendo em conta as limitações de circulação e a obrigatoriedade de cumprir isolamento entre 21 de dezembro e 6 de janeiro para quem saísse de Itália – algo que não se aplica aos jogadores de futebol que, pela frequente testagem a que estão sujeitos, não necessitam de cumprir um período de quarentena. “Quando os italianos estão impedidos de sair do país e os que regressam têm de cumprir um período de quarentena acontece isto”, critiou Paolo Ziliana, antigo defesa do Nápoles, ao diário Il Fatto Quotidiano.

Ronaldo conquista prémio de Melhor Jogador do Ano nos Globe Soccer Awards, Jorge Mendes é o Agente do Ano

Polémicas à parte, o avançado, que tem mostrado imagens a trabalhar no ginásio para não perder a forma durante o curto período de férias, marcou presença no evento que decorreu no luxuoso edifício Burj Khalifa, a torre mais alta do mundo, antecedido por uma conferência onde marcou presença num painel onde estiveram também presentes Robert Lewandowski, considerado melhor jogador do ano pela UEFA e pela FIFA e que também já estava nomeado para novo troféu, e Iker Casillas, ex-companheiro de Ronaldo e guarda-redes do FC Porto que regressou ao Real Madrid com outras funções no clube após aceitar o desafio de Florentino Pérez, presidente dos merengues.

“Marcos na minha carreira? É um prazer bater recordes e conquistar títulos, vou continuar assim. Não é fácil estar no topo durante tantos anos mas os números e os títulos falam por si. Estou muito orgulhoso. Mas sem uma grande equipa, companheiros e treinadores fantásticos, é impossível conquistar tudo isso”, comentou o capitão da Seleção, admitindo ainda que jogar sem adeptos nos estádios em 2020 é “aborrecido”: “Como jogadores respeitamos os protocolos porque a saúde está primeiro mas não gosto. Faço-o porque adoro o futebol, porque jogo pela minha família, pelos amigos e adeptos. Gosto quando as pessoas me assobiam mas isso já não acontece. Agora quando vou a outros países, são os jogadores adversários. Motivo-me com isso. Espero que agora neste ano de 2021 os adeptos possam voltar aos estádios porque sem eles nas bancadas o futebol não é nada”.

Ronaldo falou ainda sobre o impacto que tem nas gerações mais novas. “Quando olhas para as crianças, vês que querem ser como tu, até cortam o cabelo e fazem as fintas que faço… Vejo pelo meu filho. Tem dez anos e diz que quer ser como eu. Eu digo-lhe que tem pela frente um longo caminho para lá chegar e ser como o pai mas é um prazer. O futuro são as crianças. Tenho quatro e desejo-lhes o melhor. Quando vejo as crianças vir ter comigo e dizer aquele ‘Siiiiiii‘, deixa-me feliz porque reconhecem o meu esforço e dedicação. Fico orgulhoso, dá-me motivação para continuar a jogar futebol”, referiu na conferência que antecedeu a entrega dos troféus.

Aí, o português perdeu para Lewandowski no prémio de Melhor Jogador do Ano mas ganhou a Messi, Salah e Ronaldinho o prémio de Melhor Jogador do Século. Já Jorge Mendes derrotou Mino Raiola e Branchini para ficar com o galardão de Melhor Agente de Século. José Mourinho, o outro português nomeado nesta edição de 2020, perdeu para Pep Guardiola o prémio de Melhor Treinador do Século. Outra curiosidade: ao contrário do que aconteceu no The Best, o Melhor Treinador do Ano foi Hansi Flick e não Jürgen Klopp.

“Quero agradecer a todos os que votaram, aos meus colegas, aos clubes por onde passei, à Seleção… À minha família, aos meus amigos, especialmente às minhas crianças e à minha namorada, que estão sempre comigo e me ajudam a ser sempre melhor jogador e pessoa. À minha mãe, às minhas irmãs, ao meu pai, ao meu irmão. É uma grande realização para mim. Isto dá-me motivação para continuar com a minha vida, o meu futebol. É muito bom fazer parte deste evento, estar com estes enormes jogadores. Estar nomeado já era uma grande honra para mim. Espero que no próximo ano a pandemia acabe e possamos aproveitar com maior felicidade e em família. Que possamos fazê-lo noutro local mais caloroso”, destacou no discurso de agradecimento.

A lista de nomeados para 2020 e respetiva votação do público (a que se juntava depois a do júri do evento, como se percebeu por exemplo na escolha do Melhor Treinador do Ano) foi a seguinte:

Melhor Jogador do Ano

  • Candidatos: Cristiano Ronaldo (Juventus/Portugal, 42%), Lionel Messi (Barcelona/Argentina, 20%) e Robert Lewandowski (Bayern/Polónia, 38%)
  • Vencedor: Robert Lewandowski

Melhor Clube do Ano

  • Candidatos: Bayern (Alemanha, 44%), Liverpool (Inglaterra, 33%) e Real Madrid (Espanha, 23%)
  • Vencedor: Bayern

Melhor Treinador do Ano

  • Candidatos: Gian Piero Gasperini (Atalanta/Itália, 5%), Hans Dieter Flick (Bayern/Alemanha, 46%) e Jürgen Klopp (Liverpool/Alemanha, 49%)
  • Vencedor: Hans Dieter Flick

Melhor Jogador do Século

  • Candidatos: Cristiano Ronaldo (Juventus/Portugal, 38%), Lionel Messi (Barcelona/Argentina, 24%), Mohamed Salah (Liverpool/Egito, 23%) e Ronaldinho Gaúcho (Brasil, 14%)
  • Vencedor: Cristiano Ronaldo

Melhor Clube do Século

  • Candidatos: Al Ahly (Egito, 32%), Barcelona (Espanha, 18%), Bayern (Alemanha, 14%) e Real Madrid (Espanha, 36%)
  • Vencedor: Real Madrid

Melhor Treinador do Século

  • Candidatos: Alex Ferguson (Escócia, 27%), Pep Guardiola (Manchester City/Espanha, 34%), José Mourinho (Tottenham/Portugal, 8%) e Zinedine Zidane (Real Madrid/França, 30%)
  • Vencedor: Pep Guardiola

Melhor Agente do Século

  • Candidatos: Giovanni Branchini (Itália, 13%), Jorge Mendes (Portugal, 66%) e Mino Raiola (Itália, 22%)
  • Vencedor: Jorge Mendes

Prémio Carreira

  • Gerard Piqué (Barcelona/Espanha) e Iker Casillas (Espanha)

Melhor Clube do Século no Médio Oriente

  • Al Ahly (Egito)

A lista de prémios nacionais desde 2010 nos Globe Soccer Awards é a seguinte:

  • 2010: Jorge Mendes (Agente do Ano)
  • 2011: Cristiano Ronaldo (Jogador do Ano e Maior Atração no Futebol), Jorge Mendes (Agente do Ano) e Pinto da Costa (Carreira de Dirigente)
  • 2012: Jorge Mendes (Agente do Ano) e José Mourinho (Melhor Treinador e Maior Atração no Futebol)
  • 2013: Cristiano Ronaldo (Jogador Preferido dos Fãs), Jorge Mendes (Agente do Ano) e Deco (Carreira de Jogador)
  • 2014: Cristiano Ronaldo (Jogador do Ano e Jogador Preferido dos Fãs) e Jorge Mendes (Agente do Ano)
  • 2015: Jorge Mendes (Agente do Ano) e Benfica (Academia do Ano)
  • 2016: Cristiano Ronaldo (Jogador do Ano e Prémio Boa Vontade)
  • 2017: Cristiano Ronaldo (Jogador do Ano) e Jorge Mendes (Agente do Ano)
  • 2018: Cristiano Ronaldo (Jogador do Ano e Jogador Preferido dos Fãs) e Jorge Mendes (Agente do Ano)
  • 2019: Jorge Mendes (Agente do Ano), Benfica (Academia do Ano), João Félix (Revelação do Ano) e Cristiano Ronaldo (Jogador do Ano)