A bolsa nova-iorquina encerrou a sessão desta terça-feira 29 de dezembro, com máximos históricos nos principais indicadores, depois da aprovação do pacote de 900 mil milhões de dólares para estimular a economia norte-americana, fortemente fustigada pela pandemia.

No final da primeira sessão da semana em Wall Street, o Dow Jones, aumentou 0,68% e atingiu um máximo de 30.403,97 unidades, impulsionado pelas grandes cotações da Apple (3,58%), Disney (2,90%) e a Visa (1,85%).

O Standard & Poor’s 500 (S&P 500) também alcançou cotações nunca vistas e aumentou 0,87%, até às 3.735,36 unidades, e o índice Nasdaq, que agrega as principais tecnológicas, aumentou 0,74%, até às 12.899,42 unidades.

Os setores com maiores cotações foram as empresas de telecomunicações (1,86%), de bens essenciais (1,47%) e as tecnológicas (1,16%).

A jornada desta terça-feira 29 de dezembro, a primeira da última semana de 2020, foi impulsionada pelo pacote de estímulo à economia norte-americana, de cerca de 900 mil milhões de dólares para aliviar empresas e famílias afetadas pela pandemia.

A expectativa em torno deste diploma é elevada, ainda que os ‘cheques’ que vão ser entregues diretamente aos norte-americanos estejam pendentes por causa de um diferendo entre o Presidente cessante, o republicano Donald Trump, e o Congresso.

Trump quer que os cheques de 600 dólares (cerca de 491 euros) sejam aumentados para 2.000 dólares (cerca de 1.637 euros). Os democratas saudaram esta posição do chefe de Estado cessante, depois de quatro anos de contestação a quase todas as posições tomadas pelo Presidente, mas os republicanos opõem-se a este valor.