O PS/Madeira considerou “avulsas” e “tardias” as medidas anunciadas pelo Governo Regional para fazer face ao aumento de casos de SARS-CoV-2 registados no arquipélago.

“As medidas anunciadas pelo Governo Regional ao início da tarde deste domingo confirmam que o Governo liderado por Miguel Albuquerque não teve a capacidade ao longo das últimas semanas para responder de forma atempada, responsável e acertada à evolução da pandemia de covid-19 na região”, diz o presidente dos socialistas madeirenses em comunicado.

No entender do responsável do PS/Madeira, o principal partido da oposição na Assembleia Legislativa, onde tem 19 dos 47 deputados, o “Governo Regional tomou decisões avulsas e tardias na resposta à pandemia”.

Paulo Cafôfo realça que “a realidade há vários dias vinha-se afigurando como preocupante e merecedora de medidas concretas e objetivas” para dar resposta ao aumento de casos

Contudo, opina, o executivo madeirense “preferiu ignorar a realidade, manter um discurso de tom acusatório em busca de responsáveis por casos de infeção e continuar a senda de medidas avulsas, sem planeamento, sempre atrás dos acontecimentos e nunca antecipando cenários e soluções”.

Também salienta que foram os alertas lançados pelos autarcas, nomeadamente o presidente da Câmara do Funchal, da coligação Confiança (PS, BE, PDR e Nós, Cidadãos!) e a pressão da opinião pública que levaram o Governo Regional a reunir hoje “apressadamente para tomar medidas que significam um agravamento significativo das medidas e agravam os impactos económicos e sociais”.

Entre as medidas decididas hoje pelo Governo da Madeira estão proibição de circulação entre as 23:00 e as 05:00, a abertura progressiva das escolas nos três concelhos com mais casos (Funchal, Câmara de Lobos e Ribeira Brava), após realização de testes de despiste, reforço de fiscalização, o encerramento dos bares e restaurantes às 22:30, suspensão das visitas a lares até 15 de janeiro.

O líder socialista insular também defende que o Governo Regional deve “informar detalhadamente toda a comunidade escolar e as famílias sobre os procedimentos a tomar nos próximos dias” para minimizar os impactos das novas medidas junto das famílias na reabertura das aulas.

Outro ponto apontado por Paulo Cafôfo é a necessidade de ser avaliada a “eficácia e racional da dupla testagem”, opinando que esta é uma “medida discriminatória, lançada pelo Governo Regional sem atempar a capacidade de resposta necessária para ter aplicabilidade prática”.

Para o líder do PS/Madeira, esta medida “mais não é do que o argumento para esconder o falhanço da estratégia e apontar responsabilidades aos estudantes e aos emigrantes na sua chegada à região”. “A narrativa da gestão exemplar da pandemia, muito amplificada pelo Governo Regional, há muito que caiu por terra”, sustenta.

O responsável socialista critica ainda situações ocorridas no período do Natal, argumentando que foram “o mais recente exemplo das contradições do executivo [madeirense], que contrariou todas as medidas por si tomadas para se reunir a uma mesa de restaurante”, na zona do Mercado dos Lavradores, no Funchal, para comer a tradicional sandes de carne de vinho e alhos.

Complementa que o executivo liderado pelo social-democrata Miguel Albuquerque devia “pensar e implementar uma estratégia séria e adequada que permita controlar a pandemia, capacitar o Serviço Regional de Saúde para uma resposta eficaz e ter a capacidade de tomar as medidas preventivas necessárias”.

Cafôfo vinca que “não é admissível insistir nas velhas e gastas soluções de sempre, que já deram mostras de não funcionar” e exige “responsabilidade, rigor, competência, capacidade de tomar decisões difíceis, mas necessárias” que devem ser comunicadas de “forma clara e objetiva”.

“O Governo Regional não pode não assumir o falhanço das suas decisões e continuar a apontar responsabilidades para a população”, sublinha. O PS/Madeira conclui apelando ao “cumprimento das novas normas hoje anunciadas e que se prossiga com o esforço coletivo de proteger a saúde de todos”.

Com base nos últimos dados divulgados pela Direção Regional de Saúde, domingo, a Madeira registou domingo 65 novos casos positivos de covid-19, totalizando 734 situações ativas, das quais 558 são de transmissão local.