O fotojornalista Rui Oliveira arrecadou o 3.º lugar na categoria de Retrato no prémio internacional POY Latam, com um conjunto de retratos de profissionais de saúde na luta contra a Covid-19, foi divulgado esta sexta-feira.

Fui completamente surpreendido. Estamos numa pandemia mundial, os profissionais de saúde estão a fazer o possível e o impossível para salvar vidas e conseguir realçar o papel do profissional de saúde português, numa competição internacional, é muito positivo”, disse Rui Oliveira, numa reação à Lusa ao prémio anunciado esta tarde pela POY-Latam.

O POY-Latam foi criado por Loup Langton e Pablo Corral Vega em 2011 para celebrar a excelência da fotografia documental e artística da Iberoamérica, tornando-se um dos mais importantes concursos da região. Lançado em 2011, o concurso de fotografia documental distinguiu o trabalho do fotojornalista natural do distrito do Porto, na categoria de retrato com um conjunto de fotografias tiradas em contexto hospitalar, onde se pretendeu retratar a luta diária contra a Covid-19 não só dos profissionais de saúde na linha da frente, mas também de outros profissionais essenciais a este combate.

É uma ode aos todos profissionais na linha da frente”, descreveu Rui Oliveira, explicando que no Hospital Pedro Hispano, no concelho de Matosinhos, distrito do Porto, fotografou enfermeiros, mas também auxiliares e empregadas da limpeza.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O reconhecimento internacional deste trabalho é, para o fotojornalista, ainda mais especial por se tratar de um projeto “pensado”, “fotografado” e “executado” em Portugal e que também tem uma componente pessoal, ao incluir um retrato da enfermeira Sofia Novo, sua companheira. Antecipando um ano desafiante em termos profissionais, Rui Oliveira vê na atribuição deste prémio o sinal de que o caminho a que se propôs é o certo, salientando que enquanto fotojornalista é muito prestigiante ser reconhecido internacionalmente. Para o freelancer, este prémio, somado a outros arrecadados por outros fotojornalistas portugueses, é também sinal de que o fotojornalismo em Portugal “está bem de saúde”.

Ao longo do seu percurso profissional, Rui Oliveira foi distinguido com vários prémios, o último dos quais o Prémio Europa atribuído pela Estação Imagem, na edição de 2019, quer premiou o trabalho “Romeiros” que retrata a fé dos homens que percorrem 300 km ao longo de uma semana, rezando e visitando os locais de culto religioso da ilha de São Miguel, nos Açores.

Em 2020, em contexto de pandemia, Rui Oliveira integrou também o projeto “Everydaycovid” que resultou na publicação de um livro com 300 páginas e mais de 500 fotografias de dezenas fotógrafos e fotojornalistas, onde constam os registos fotográficos diários em estado de emergência.