436kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Quarta-feira foi o dia com mais mortes em Portugal desde que há registos: 721. E um terço foi por Covid-19

Este artigo tem mais de 1 ano

Desde que os registos começaram a ser feitos de modo sistemático, em 1980, que Portugal nunca tinha registado um valor tão elevado. Na quarta-feira, morreram 721 pessoas, 221 delas com Covid-19.

CONJUNTO DE 20 FOTOGRAFIAS: 4-20: Funcionários da agência funerária e os coveiros do cemitério de Benfica prestam homenagem a uma mulher de cerca de 30 anos vítima de cancro. Devido à pandemia da covid-19 os seus familiares mais próximos em Portugal tinham mais de 70 anos, pelo que foram aconselhados a não marcar presença, e os outros familiares no estrangeiro, pelas restrições de voos, não chegariam em tempo útil das cerimónias fúnebres, 01 de abril de 2020. (ACOMPANHA TEXTO DE 07 DE ABRIL DE 2020) MIGUEL A. LOPES/LUSA
i

A pandemia da Covid-19 já matou perto de 10 mil portugueses

MIGUEL A. LOPES/LUSA

A pandemia da Covid-19 já matou perto de 10 mil portugueses

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A última quarta-feira foi o dia em que mais pessoas morreram em Portugal desde que há registos. De acordo com o portal da vigilância da mortalidade em tempo real disponibilizado pelo Ministério da Saúde, no dia 20 de janeiro de 2021 morreram 721 pessoas.

Basta olhar para o gráfico a olho nu para perceber que, desde o início do ano, todos os dias de janeiro têm tido um número de mortos significativamente maior ao esperado tendo em conta a média dos últimos anos — o que faz com que, neste momento, tudo indique que janeiro de 2021 será o mês com mais óbitos em Portugal em 40 anos, desde que os registos começaram em 1980.

O tempo frio e a época da gripe contribuem para que, anualmente, janeiro seja o mês com maior número de óbitos no país — com uma média de perto de 400 óbitos por dia. Em 2021, altura em que o país atravessa a pior fase da pandemia da Covid-19, este número praticamente duplicou.

A contribuir para o máximo de mortes registado na última quarta-feira encontra-se um crescimento acentuado da mortalidade na região Centro. No dia 20 de janeiro, morreram 236 pessoas na região de Lisboa e Vale do Tejo; 194 pessoas na região Norte; 169 pessoas na região Centro; 65 pessoas na região do Alentejo; 26 pessoas na região do Algarve; 14 pessoas na Madeira e 6 pessoas nos Açores.

Nunca morreram tantas pessoas como nas últimas duas semanas. Janeiro pode ser o mês com mais mortos desde 1980

Segundo o boletim epidemiológico de quinta-feira, cujos números dizem respeito àquela quarta-feira negra, o dia 20 de janeiro foi também aquele em que se registou o máximo de mortes por Covid-19 num só dia em Portugal: 221 óbitos. Isto significa que, naquele dia, 31% das mortes em todo o país estiveram relacionadas com a pandemia.

Dede março do ano passado, a Covid-19 já matou 9.686 pessoas em Portugal, num universo de mais de 595 mil casos confirmados de infeção.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.