A notícia caiu como uma bomba no domingo à noite, nas últimas horas de um fim de semana típico na Europa, com dezenas de jogos para os Campeonatos de futebol em praticamente todos os países. Aos 62 minutos da receção do PSG ao Nantes, Mauricio Pochettino tirou Di María e lançou Leandro Paredes. A substituição pareceu natural, até porque o Nantes tinha acabado de empatar o marcador no Parque dos Príncipes e o PSG precisava de reagir. Quando o treinador argentino acompanhou Di María até ao balneário, percebeu-se que nada do que se estava a passar era natural.

Leonardo, o diretor desportivo dos parisienses, foi informado de que a família do jogador argentino estava sequestrada em casa, em Neuilly-sur-Seine. Comunicou de imediato com Pochettino, que tirou Di María de campo e acompanhou-o até ao balneário enquanto lhe contava o que se estava a passar, antes de regressar novamente ao banco. Segundo o RMC Sport, a mulher e as duas filhas do argentino estiveram sequestradas durante alguns momentos pelos assaltantes que entraram na residência, numa situação descrita como “extremamente violenta” mas sem “tragédias a lamentar”. Os criminosos terão levado o conteúdo de um cofre.

Entretanto, soube-se também que a casa de Marquinhos, central brasileiro do PSG, também foi assaltada este domingo. O pai do jogador, que estava no jardim a alimentar os cães, foi surpreendido por dois homens que o empurraram para dentro de casa, causando ferimentos no rosto, no peito e nas costelas. Dentro da residência — que fica a poucos metros da de Di María — estavam também as duas irmãs de Marquinhos, de 13 e 16 anos: os assaltantes trancaram os três dentro de um quarto e fugiram com três malas de luxo, vários artigos de valor e cerca de dois mil euros em dinheiro. O brasileiro, ao contrário do que aconteceu com o argentino, permaneceu em campo durante os 90 minutos do jogo contra o Nantes.

Casa de Di María em Paris foi assaltada e a sua família foi sequestrada durante jogo do PSG

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Já esta terça-feira, o L’Équipe avançou com a notícia de que o PSG vai reforçar a segurança nas casas dos jogadores do clube. Para além dos sistemas de vigilância e dos alarmes que já estão instalados nas residências dos atletas, o PSG pretende contratar um ou dois seguranças que permaneçam à porta de cada casa 24 sobre 24 horas. Jogadores como Neymar e Mbappé já contam com este tipo de serviço, acrescenta o jornal francês, mas contratado a título particular.