Adão Silva, líder parlamentar do PSD, assegurou esta terça-feira que o PSD está a estudar a hipótese de aumentar o número de deputados nos distritos com menos população através de uma proposta de revisão constitucional. O social-democrata entende que o atual método de Hondt é injusto para as regiões menos populosas e que é preciso inverter o modelo de eleição de deputados.

Em Portalegre, onde os sociais-democratas cumprem o segundo dia de jornadas parlamentares, a ausência de Rui Rio foi bastante notada. O líder do PSD falhou o primeiro dia das jornadas e só se junta aos deputados para o almoço deste domingo e para a intervenção final do fim de semana. Adão Silva desvalorizou a ausência do presidente (e deputado) do partido, explicando que “já estava previsto”. “[Rui Rio] tem uma agenda muito exigente em termos de eleições autárquicas“, argumentou. “São tempos de muita exigência, não podemos estar todos acumulados, ganhamos em que cada um faça bem o seu papel”, acrescentou.

Durante a visita matinal primeiro ao Tribunal Judicial da Comarca de Portalegre e depois à GNR, Adão Silva aproveitou para se atirar ao primeiro-ministro e para sugerir que devolva uma medalha de ouro que não merece ter.

“O atual primeiro-ministro quando era ministro da Administração Interna veio aqui e foi-lhe até oferecida a medalha de ouro da cidade e nada foi feito. O senhor primeiro-ministro tem a obrigação de devolver à cidade de Portalegre a medalha de ouro já que não concretizou o propósito que veio aqui anunciar que era construir o centro de formação da GNR, que está aqui há muitos anos mas em instalações inapropriadas”, explicou o líder parlamentar do PSD.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.