O futuro vale tecnológico da Farfetch em Matosinhos vai ser desenhado pelo gabinete do arquiteto dinamarquês Bjarke Ingels, conhecido por BIG. O concurso para a obra tinha sido aberto pela plataforma global de moda de luxo e pelo Castro Group, que atua nas áreas da promoção imobiliária e construção, e contou com propostas de seis gabinetes de arquitetura.

A previsão aponta para que o Fuse Valley (como será chamado) esteja pronto em 2025 e a apresentação pública dos detalhes deste projeto está agendada para setembro de 2021.

“Estamos muito entusiasmados com este projeto e com a visão que o Bjarke Ingels nos apresentou, não só pelo que vai significar como marco para a empresa, para as nossas pessoas, mas também para a comunidade. Este projeto com o BIG vai ser uma revolução sobre aquilo que são os conceitos atuais de espaços de trabalho, marcado pelo cunho futurista, pela orientação para a sustentabilidade e para o bem-estar. Será um espaço não só para a Farfetch, mas sim para toda comunidade”, diz José Neves, fundador e presidente da empresa.

O grupo Bjarke Ingels trabalhou em projetos que marcam o panorama arquitetónico mundial e é reconhecido pelas preocupações ambientais e projetos inovadores que costuma implementar. Exemplo disso é o projeto que têm para redesenhar o planeta e parar as alterações climáticas, o Masterplanet, que foi apresentado no final do ano passado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O novo polo da Farfetch terá cerca de 140 mil metros quadrados e abrangerá não só os edifícios da empresa, que representam cerca de 45% da área total, mas também os outros edifícios de escritórios, serviços e unidade hoteleira que serão promovidos pelo Castro Group. “A localização e as valências deste projeto, associadas a uma arquitetura de olhos postos no futuro e na sustentabilidade do planeta, fazem do Fuse Valley, a fusão perfeita entreempresas, pessoas, cultura, arte e comunidade”, afirma Paulo Castro, CEO do Castro Group.

Já o sócio fundador e diretor criativo da Bjarke Ingels diz que com a Farfetch, tentaram “unir todos os aspetos da sua organização — o negócio, a arte e a tecnologia — numa vila criativa sob um único telhado. Os pátios conectados e os jardins em cascata estendem o ambiente de trabalho ao ar livre, fazendo da Farfetch uma extensão integral da paisagem natural original e da cultura urbana local”.